Quando teve o último filho de Jacó, Benjamim, Raquel morreu de parto. Um pouco antes de morrer, fez um pedido, um pedido que normalmente é atendido: o último desejo de um moribundo. Jacó, porém, não atendeu o seu pedido, pois referia-se ao nome do seu filho, e nomes sempre foram, para todos os orientais, algo de capital importância. 

Na hora em que estava morrendo, Raquel deu ao seu filho o nome de Benoni, que significa “filho da minha amargura”. O pai deve ter pensado que este nome seria uma má influência para seu filho durante toda a sua existência e ordenou que ele se chamasse Benjamim, que tem um significado mil vezes melhor: “O Filho da Mão Direita” (Gn 35:16-18).