gratidao 1

A bênção da gratidão.

Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras. Servi ao SENHOR com alegria,  apresentai-vos diante dele com cântico. Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio.  Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome. Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a sua fidelidade (Salmo 100:1-5). 

Você já reparou nas características dos verbos deste Salmo que nos convidam a uma celebração da bondade de Deus? Aliás, não é um convite. Soam como “mandamentos”. Todos eles são imperativos: “celebrai, servi, apresentai, sabei, entrai, rendei e bendizei o Seu nome.” O salmista nos ordena a pensar em nossa existência, não com uma perspectiva humana, mas como participantes de uma realidade que transcende o que é terreno. Nos estimula a unirmos a outros para juntos meditarmos na grandeza de Deus, que nos é revelada em sua infinita bondade para conosco. O Salmista confia que este exercício  produzirá um ar festivo pleno de alegria, regozijo, gratidão, louvor e declarações da bondade de Deus. 

Reflita um momento nessa realidade: 

–  Ele criou os céus. Nós os desfrutamos.

–  Ele fez o ar. Nós o respiramos.

–  Ele proveu o alimento. Nós o degustamos.

–  Ele nos deu sonhos. Nós os sonhamos.

–  Ele nos outorgou dons. Nós os usamos.

–  Ele nos deu uma família. Nós partilhamos.

–  Acima de tudo, Ele nos deu Jesus. Nos deu o céu. 

Se permitíssemos que o Espírito Santo nos guiasse nesse exercício, nossa lista poderia ser interminável. Tudo, absolutamente tudo, o que temos e desfrutamos provém de Suas bondosas mãos.

Medite na importância de pararmos um pouco, sem nenhuma preocupação, para celebrarmos as múltiplas manifestações da bondade de Deus.  A alegria e a gratidão são grandes antídotos contra o desespero. Por esta razão, o salmista  nos anima, como filhos, a celebrarmos a Deus, porque o Senhor é bom e a sua misericórdia dura para sempre. Aleluia! 

Para refletir:  Dizem que o louvor é uma arma muito poderosa. Se assim for, a munição dessa arma é um coração agradecido. Sem gratidão no coração não pode existir um louvor verdadeiro. Como está o seu coração? Você é agradecido (a) ou reclama da vida? Faça um exercício e tente acrescentar mais itens na lista acima. 

N’Ele, cujo coração, é terno, compassivo, clemente e bondoso, 

Pr. Natanael Goncalves