Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito (Tiago 1:25).

Tiago, de modo prático, nos fornece as chaves para que não nos tornemos ouvintes esquecidos ou negligentes. A simplicidade com que ele descreve a condição de incapacidade de uma pessoa reter a informação que a orienta no curso da vida, é admirável. Isso pode ser algo tão simples como a ida a algum lugar e depois não recordar porque foi ali. Ou pode ser algo mais sério, como a perda de memória, resultado de alguma enfermidade. Em ambas as situações o efeito é o mesmo: desorientação e procedimento incerto. Da mesma forma pode-se descrever a pessoa que não retém a Palavra de Deus. Ela se alegra com a proclamação da mesma, mas não lhe concede nenhuma utilidade em sua vida pessoal. O apóstolo nos dá claras instruções para sermos abençoados em tudo o que fizermos. No texto de hoje, o termo “tudo” está implícito quando diz: “esse tal será bem-aventurado no seu feito”. Devemos recordar que aquele que pratica a Palavra, possui a promessa de bênção para a sua vida. Entretanto, é bom lembrar, que essa promessa contida no versículo de hoje não significa uma vida sem problemas, pois se assim entendêssemos, nossa interpretação do texto seria rasa e simplista. Deus promete respaldo para aqueles que vivem conforme os seus desígnios, mesmo quando lhes tocam atravessar situações de extrema dificuldade. Alem disso, não devemos esquecer que esta bem-aventurança alcança os que praticam, não aos que simplesmente ouvem a Palavra de Deus. As instruções são claras: em primeiro lugar, deve-se considerar atentamente a lei perfeita. Esta atitude indica uma concentração dos sentidos que não pode ser alcançada com uma leitura superficial do texto. É o fruto da convicção de que os tesouros mais preciosos da Palavra estão ao alcance daqueles que, realmente, estão dispostos a buscá-los esperando a revelação do Espírito. Pressupõe-se o desejo de ocupar-se com seriedade da leitura das Escrituras. Em segundo lugar, Tiago exorta a perseverar nela, sendo um “fazedor da obra”. A que obra se refere? Exatamente aquela que resulta do estudo da Palavra. Deus não entrega sua verdade para informar, nem tampouco para entreter, mas para orientar na direção de uma ação concreta. O resultado do estudo deverá mover-nos a fazer algo. Desse modo, somente aqueles que obedecem ao impulso divino alcançarão a promessa do texto, pois a obediência desata o compromisso do Altíssimo.

Para refletir: Qual é a sua relação com a Palavra de Deus? Você é apenas ouvinte ou praticante?

Meu desejo é que você seja abençoado (a) em tudo o que fizer,

Em Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves