Jesus, porém, olhando para eles, disse: Para os homens é impossível, mas não para Deus, porque para Deus todas as coisas são possíveis (Marcos 10:27).

Quando nos deparamos com as dificuldades da vida como reagimos? Quando um problema toma uma dimensão inversamente proporcional à nossa capacidade de solução ou gerência, que fazemos? Quando questões como essas rondam a minha mente, penso nas pessoas que vivem longe de Deus. Pessoas que não creem na intencionalidade de Deus em fazer-nos o bem e em nos tornar participantes das suas bênçãos. O Senhor não está distante de cada um de nós. Para Ele não há problema que seja insolúvel, nem complexidade que não possa ser desatada. Um tempo atrás me contaram uma história fantástica que vou narrar aqui. Como não tenho uma autorização por escrito, não vou mencionar os nomes, mas preste bem atenção, porque testemunhos como estes demonstram o poder de Deus e o interesse dEle por sua vida.

Num jantar no Marriot hotel, na cidade de Atlanta, EUA, falando para uma plateia de aproximadamente 400 pessoas, o presidente de uma instituição evangélica conta a seguinte história:

Um casal com duas crianças de colo formava o que chamamos de família. A vida ia seguindo e a esposa descobriu que estava grávida do terceiro filho. Até aí tudo normal. O problema, entretanto, era com a segunda descoberta: Foi diagnosticada uma enfermidade fatal na jovem esposa. Com isso, pensou-se num aborto que gerou verdadeiros conflitos internos e externos. O tempo foi passando, o marido afundou-se na bebida tornando-se um alcoólatra. O momento de dar à luz a criança chegou, e o parto foi feito, contudo um ano mais tarde, a esposa veio a falecer. Sofrimento era o que rondava aquela pequena família. O pai, um bêbado que buscava na bebida afogar as suas mágoas e mazelas, tomou uma decisão: iria doar os seus filhos. Isso ele fez algumas vezes, sempre os trazendo de volta, talvez por causa da sua consciência.

Poucos anos se passaram, então ele tomou novamente a decisão de doar os filhos. Assim os dois maiores se foram, mas o terceiro ficou jogado e abandonado pelo próprio pai. Dormia num celeiro, não tomava banho e mal se alimentava. Chagas, úlceras e escaras era o que havia em sua pele. Sua aparência era a pior possível. As feridas do corpo, as roupas sujas, o cabelo desgrenhado e o mau cheiro que exalava daquela criança, provocavam em qualquer pessoa que se aproximava dela, o asco e a repulsa.

Longe dali, num outro estado, um casal sonha em adotar um filho. Alguém lhes conta que conhecia uma família em que o pai estava fazendo a doação de seus filhos. Não demorou muito e esse casal se apresenta perante aquele pai bêbado. Imediatamente ele lhes diz que as duas crianças maiores foram doadas, mas havia um menininho ainda bem pequeno, que, se eles o quisessem, poderiam levá-lo. Com alegria em seus corações foram à procura do garotinho que vivia sozinho no celeiro. Tomaram-no em seus braços e a primeira providência, foi uma visita a um pediatra. Quando o médico o viu, ele lhes disse: Por que vocês querem essa “coisa”? Não estão vendo o estado em que ele se encontra? Ao que o casal lhes respondeu: Olha doutor, essa “coisa” como o senhor o chama, é o nosso sonho. Ele será uma bênção, porque o Deus a quem servimos cuidará dele.

Para resumir esse relato, disse o presidente daquela instituição: “Esse menino sou eu”. Formado, com PHD em sua área, ele é uma figura proeminente não só no mundo evangélico, mas também na sociedade em que vive.

Contei essa história com um propósito definido: Tocar o seu coração e demonstrar que Deus toma as situações mais complicadas e, faz delas motivos de glória para o Seu nome. Ele pode pegar nossa vida triste, inútil e insípida, e torná-la alegre, útil e plena de significado para a glória dEle. Portanto, não se desespere. Não importa quão grave seja a sua condição física, moral ou espiritual. O Senhor Jesus, que “ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre”, só Ele tem a última palavra. Lance sobre Ele toda a sua ansiedade, todas as circunstâncias difíceis e todos os seus problemas insolúveis, pois Ele tem cuidado de ti.

 

Para refletir: A palavra “vem” aparece na Bíblia cerca de seiscentas vezes. Tantos convites nos fazem ter certeza de que somos verdadeiramente procurados. Portanto, medite sobre tudo e corra para os braços do Senhor.

 

N’Ele que nos amou de modo apaixonado, a ponto de dar o Seu Filho por nós,

 

Pr. Natanael Goncalves