Dei-lhes a tua palavra,  e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou (João 17:14-15). 

As palavras do Senhor parecem ser, à primeira vista, contraditórias. Por um lado afirma que o mundo odeia a seus discípulos, precisamente porque pertencem a outro Reino inteiramente diferente. Os contrastes nos estilos de vida, nos valores e nos compromissos, se conjugam para por em evidência as faltas dos que estão identificados com este presente século mau. O resultado é, para os que estão em Cristo Jesus, conflito e perseguição.  Na frase seguinte, Jesus pede ao Pai “que não os tire do mundo”. O Senhor deixa claro em sua oração que os discípulos não são do mundo e, por isso, não reivindica uma comodidade para eles neste entorno. Não obstante, muitos filhos de Deus estão dedicados a buscar o modo mais confortável possível de viver nesta terra, enquanto caminham para a eternidade.Chamados

Devemos meditar no pedido que Jesus fez ao Pai: “Não peço que os tire do mundo, mas que os livre do mal”. Qual é a razão desta petição? Ela se torna clara em nossa mente quando entendemos que fomos chamados a cumprir uma missão aqui neste mundo: Deus nos tem abençoado para que sejamos bênção a todos aqueles que Ele põe em nosso caminho. Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós (Jo 20.21). Esta é uma parte essencial do chamado de todo discípulo de Cristo. Não é possível cumprir este chamado se não estivermos no mundo e, ainda por cima, cercados daquelas pessoas que nos odeiam. Devemos refletir se nossas atitudes e objetivos de vida não estão frustrando a oração de Jesus ao pedir ao Pai que não nos tire do mundo. A expressão “tirar do mundo” não significa morte e tampouco viver à parte do mundo. A ideia de Jesus é que seus discípulos vivam no mundo e sejam luz nessas trevas que os rodeiam. O pedido de Jesus ao Pai clarifica o nosso entendimento, pois, envolvidos no testemunho do evangelho ao mundo, a frase “que os livre mal”, se reveste de seu real significado. Não cumprir com o nosso chamado é o mesmo que “sair do mundo”. Se assim o fizermos, damos as costas à nossa vocação, e sem vocação de serviço, não podemos ser discípulos. 

Para refletir: Você possui amigos no mundo? Como você se relaciona com eles? Eles veem em você uma pessoa diferente e se sentem amados por você? Você tem cumprido com a sua vocação de discípulo? 

N’Ele que nos disse que somos luz do mundo e sal da terra, 

Pr. Natanael Goncalves.