Atos 5:12-13 E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E estavam todos unanimemente no alpendre de Salomão. Quanto aos outros, ninguém ousava ajuntar-se com eles; mas o povo tinha-os em grande estima. 

Quando leio essa passagem, algo salta aos meus olhos: Deus se manifestava através dos apóstolos com sinais e prodígios. As pessoas estavam tocadas com essa manifestação e podiam ver o Senhor atuar entre eles. Muitos eram curados, outros eram libertos de espíritos malignos, ainda outros podiam sentir um toque diferente em seus corações, fruto da graça e do amor Celestial. Tudo isso era maravilhoso, mas havia outra coisa acontecendo: O povo nutria uma simpatia pelos discípulos e pela “igreja”, tinha-os em grande estima, mas não queria se comprometer e, como nos informa o versículo, não ousava ajuntar-se com eles.

O que isto nos ensina? Que proveito posso tirar desse texto? Posso aplicar isso em minha vida? Sem dúvida, observamos o mesmo acontecimento em nossos dias. As pessoas precisam da bênção de Deus. Querem a bênção de Deus. Buscam a bênção de Deus. Alguns necessitam de uma intervenção divina nos seus relacionamentos, outros, em áreas específicas de saúde, finanças, orientação para decisões que não podem ser mais adiadas, enfim, precisam da manifestação de Deus e, para isso, procuram a igreja.

As pessoas estão sempre vivendo em necessidades. Todos precisam ou querem algo de Deus, mas o que quero focar aqui não são as carências das coisas desta vida, mas sim a carência do próprio Deus. Precisamos desesperadamente de Deus. Precisamos mais d’Ele do que o ar que respiramos. Precisamos responder àquela famosa pergunta: “Onde passarás a eternidade?” O relacionamento com Deus através de Jesus Cristo nos dá a segurança da eternidade e isto é o que mais importa. Entretanto, precisamos fazer uma auto-análise dos nossos corações e avaliarmos os nossos interesses. Pelo que vemos no texto, o povo queria as bênçãos de Deus, tinha os apóstolos em alta estima e simpatia, mas não queria o compromisso com Deus. Eram apenas simpatizantes. Será que posso avaliar da mesma forma as minhas intenções? Sou apenas um simpatizante, porque me interesso pelas bênçãos de Deus ou sou um “comprometido” com o Senhor e com o Seu Reino? Aqueles que são simpatizantes, já foram definidos pelo adjetivo que carregam. Não há obrigações para com Deus e nem se importam com as pessoas. Apenas pensam em si mesmos e nas suas “necessidades”. Quanto aos comprometidos, esses estão envolvidos com o Reino de Deus de tal maneira, que pensam mais no próximo do que em si mesmos. Buscam a Deus pelo que Ele é e, não pelo que podem ter d’Ele. Qual é o seu caso? 

Por último, quero apenas registrar que, quando buscamos a Deus pelo que Ele é, podemos ter certeza que Ele vem com todas as Suas bênçãos, pois é impossível desassociar o próprio Deus do Seu amor e cuidado para com os Seus. 

Para refletir: Você é comprometido ou simpatizante? 

N’Ele que nos chamou para vivermos em união com o Seu Filho, 

Pr. Natanael Goncalves