Olha, ponho-te neste dia sobre as nações e sobre os reinos, para arrancares, e para derribares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edificares e para plantares (Jeremias 1:10). 

Um grande número de pessoas crê que a proposta do cristianismo é a de tornar a vida que possuímos mais aprazível e mais fácil. Desta forma, a pessoa que chega ao arrependimento e se incorpora à igreja do Senhor, frequentemente, experimenta poucas mudanças em sua vida. Mesmo depois de muitos anos andando pelo Caminho, descobre-se que poucas coisas a diferenciam do mundo.

A missão que o Senhor deu ao profeta Jeremias,  descrita nas palavras acima, nos mostra que a vida cristã envolve uma mudança muito mais dramática e profunda do que pensamos. Falamos de vida cristã envolvendo o texto do Antigo Testamento, por causa dos princípios ali contidos.  Assim, vemos que Deus não está no negócio de remendar vidas ou de fazer uma pequena reforma para que possam funcionar dentro do Reino. Antes de se trabalhar na edificação, deve ser removido tudo aquilo que não serve. Desta maneira, a tarefa do profeta incluía a parte negativa do processo de reconstrução, que era a de arrancar, derribar, destruir e arruinar. Note como são fortes e radicais os termos usados. Você não destrói nem arruína aquilo que planeja voltar a usar. Você arranca e derruba somente aquilo que não lhe serve mais.

Creio que muitos cristãos se sentem frustrados porque estão envolvidos em projetos, cuja pretensão, é fazer uma maquiagem em coisas que, nas sua essência, estão podres. São muitas as técnicas e metodologias do mundo que estão adentrando às igrejas com o propósito de crescimento, bem como de ajuda às pessoas, dentro do parâmetro das exigências de uma sociedade moderna. Muitos são os cristãos que querem reter todas as comodidades  e modalidades do mundo, enquanto vivem uma vida espiritual  previsível e insossa. Se desejarem provar das realidades do verdadeiro evangelho e do poder de Deus e Seu amor, o único destino adequado para eles é o da destruição e da ruína. Pesado, não?

Certamente podemos fazer um link com as palavras de Jesus quando disse que “Ninguém tira um pedaço de uma veste nova para o coser em veste velha, pois que romperá a nova, e o remendo não condiz com a veste velha” (Lucas 5:36). O princípio assinalado aqui é claro: chega um momento em que o vestido está tão desgastado que não vale a pena repará-lo. A solução é jogar fora o vestido velho e guardar o pano novo para outra coisa. 

Para refletir: O apóstolo Paulo nos diz em Romanos 6.4: “De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”. Nosso destino espiritual quando conhecemos a Cristo não era o de  tornar-nos conquistadores da glória do mundo ou das coisas do mundo. Não! Nosso destino era a morte. Somente da morte se pode obter uma nova vida e vida em abundância. 

N’Ele que veio para nos dar a vida do próprio Deus, 

Pr. Natanael Goncalves