Muitos outros creram nele, por causa da sua palavra, e diziam à mulher: Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo ( João 4:41-42). 

O diálogo entre Cristo e a mulher samaritana junto ao poço de água, é um dos mais incríveis registrado nas Escrituras. Jesus não foi nem agressivo nem desrespeitoso com ela, mas com uma habilidade incrível, o Mestre guiou-a na trilha do confronto objetivando uma profunda mudança em sua vida. Ao analisar as verdadeiras dimensões deste encontro, podemos entender por que o testemunho da mulher foi tão dramático. Ela não era uma pessoa com uma reputação tão sólida. Havia passado por cinco casamentos e o sexto não era uma garantia de sucesso. Depois da conversa com Cristo, porém, algo aconteceu. Vemos agora uma mulher, cujas palavras, se converteram em um testemunho vivo e tocante. Por causa disto, toda a aldeia veio a conhecer o “profeta” que lhe havia revelado a verdade de Deus.  Como resultado, todos imploraram a Jesus que ficasse entre eles, e muitos mais creram por causa de sua palavra.

Jesus e a samaritanaO testemunho dessas pessoas destaca a importância de uma experiência pessoal com Cristo. À mulher, lhe disseram: Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido. A experiência inicial, pelo testemunho da mulher, rapidamente foi substituída pelo contato pessoal que cada um teve com o Messias, e assim, suas vidas foram transformadas.

A maioria de nós teve uma experiência de conversão semelhante. Fomos a Cristo pelo que os outros nos disseram, ou porque o vimos em suas vidas. Seus testemunhos despertaram em nós o desejo de conhecer a Jesus pessoalmente.  Esta experiência pessoal estabeleceu a base de nossa primeira trilha na vida cristã. É importante notar que este princípio é a fundação de todo exercício espiritual transformador. Infelizmente, muitos cristãos não avançam para além desta experiência inicial. Sua “evidência” de eficácia da vida espiritual volta a descansar sobre o testemunho de outros, porque não alimentaram essa relação de amizade com Cristo, levando-a ao nível da intimidade, antes, ficaram no entusiasmo inicial e não ultrapassaram essa linha. Necessitam de uma relação cotidiana com Jesus, mas se resignam a observar em outros o que não possuem em suas próprias vidas pessoais. Sabem que Cristo é real,  não por experiência própria, mas pelo testemunho de outros. Com o passar do tempo isso produz um cinismo  e uma religiosidade que seca toda a expressão da graça.

Quão importante é, então, que cada dia renovemos nosso andar com Ele!  Devemos buscar uma relação que nos permita compartilhar o testemunho dos samaritanos:  Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo. 

Para refletir: Como anda a sua relação com o Senhor? Você pode testemunhar de que Ele fala e ministra diariamente ao seu coração? O que você precisa fazer para cultivar maior intimidade com Ele?

 

No amor de Cristo Jesus,

 

Pr. Natanael Goncalves