Então, disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche o teu vaso de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei (1 Samuel 16:1). 

Olhando para esse texto, poderíamos fazer uma observação: Por que o Senhor não deu instruções mais detalhadas a Samuel? Pensamos até que Ele poderia ter dito: “Quando chegares à casa de Jessé, pergunta por Davi, que é o seu filho mais novo. Ele é a pessoa que tenho escolhido para ser rei. Unge-o e abençoe-o em meu nome”. Porém o Senhor, fiel a seu estilo, deu-lhe somente a informação que necessitava para que o profeta se pusesse em marcha.

Quando Samuel chegou a Belém, começou o processo de busca ao novo rei. Deus não interferiu. Usando Samuel seus próprios critérios, pensou haver encontrado o novo rei quando viu a Eliabe, filho mais velho de Jessé. Nesse momento, Deus falou, e lhe deu instruções adicionais, revelando o princípio que haveria de guiar o processo de seleção: “ O Senhor não vê, como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1 Samuel 16:7).

As diretrizes incompletas que o Senhor deu a Samuel, revelam um importante princípio, pelo qual Deus se relaciona conosco. Nossa tendência, como cristãos, é crer que estamos trabalhando para Deus. Se fossemos meros empregados do Altíssimo, ele nos daria instruções completas, porque nosso encargo seria somente cumprir a nossa obrigação. No entanto, esta não é a nossa função. Em toda obra que Deus nos manda realizar, o interesse do Pai, é também, trabalhar em nós. As instruções incompletas que Deus deu a Samuel, obrigaram primeiramente o profeta a caminhar por fé. Mas, durante o processo de seleção, após ter cometido o erro de olhar para as aparências, Deus lhe ensinou uma importante lição a respeito dos critérios que o Senhor usa para tratar com os homens. A lição, ensinada no momento preciso, iria ficar gravada no coração de Samuel pelo resto da sua vida. O que aprendemos aqui? Podemos afirmar que em cada projeto que Deus nos dá, Ele têm duas metas importantes que cumprir. Uma delas, é que o projeto deve seguir adiante conforme as diretrizes que Ele nos tem dado. A segunda, porém, é que envolvidos no processo de levar adiante a obra de Deus, devemos seguir crescendo e aprendendo.

O cristão não trabalha para Deus. O cristão trabalha com Deus e, na qualidade de aprendiz. Como Deus amoroso, à medida em que Pai e filho, juntos realizarem os projetos, o Senhor irá corrigindo e ensinando os “segredos” do ofício. Eu não sei o que você está fazendo, mas em todo trabalho não perca de vista a obra preciosa que Ele quer realizar em seu interior. Cada dia trará promessas de novas lições ao lado do Grande Eu Sou. 

Para refletir: Não se desanime pelos erros cometidos. Algumas das lições mais preciosas e profundas na vida espiritual se concebem no período de reflexão que automaticamente acompanha os tropeços que experimentamos. 

N’Ele que nos instrui, ensina e guia, 

Pr. Natanael Goncalves