Não havendo bois, o celeiro fica limpo, mas pela força do boi há abundância de colheitas (Provérbios 14:4). 

O texto de hoje, nos convida a fazer reflexões importantes. Em primeiro lugar, existe em todos nós uma tendência em dar prioridades a coisas que são secundárias. Neste caso, o autor de Provérbios escolhe o tema da limpeza. Ninguém, em perfeito juízo, irá argumentar que é saudável viver rodeado de sujeira, ou em condições de falta de higiene. Em compensação, todos nós conhecemos pessoas, para as quais, a limpeza é uma obsessão.  Elas estão dispostas a pelejar com outros para defender e impor condições de extrema higiene em sua vida cotidiana, ainda que estas não sejam necessárias. 

boi

Poderíamos transportar esta obsessão a outros aspectos da vida. Considere, por exemplo, o tema da pontualidade. É importante ser pontual e mostrar respeito pelos outros. Contudo, há pessoas tão obcecadas com o relógio que chegam a insistir na pontualidade, mesmo quando estão em férias e não há nenhum compromisso com horário. Ou, então, pense na tendência do perfeccionista. Para esta pessoa é inaceitável que um projeto contenha imperfeições. Cremos ser importante fazer todas as coisas com um grau de excelência, mas para o perfeccionista, nada poderá deixá-lo satisfeito com algo menos que perfeito, ainda que seja alguma coisa de somenos importância. Em tudo isto vemos em nós uma propensão, como seres humanos, a construir nossas vidas dentro de um conjunto de valores que possui pouca ou nenhuma importância na dimensão espiritual da nossa existência. O desfio, então, é não permitir que estas obsessões dominem ou controlem nossa vida.

O autor de Provérbios, todavia, nos leva a uma segunda reflexão: todo êxito nesta vida traz consigo certos aspectos desagradáveis. Não é possível alcançar um bom resultado em projeto difícil se não estivermos dispostos a certos sacrifícios. No exemplo que vemos no versículo de hoje, a ilustração é clara: o boi é um animal indispensável para ajudar nas tarefas do campo. Com ele, o agricultor pode avançar muito mais em seu serviço do que se tivesse que realizar o trabalho sem ele. No entanto, quando o leva ao celeiro, à noite deixa seus dejetos no piso. Na visão do autor, esse é o preço de ter um boi. Da mesma maneira, quem deseja alcançar certas metas na vida, deve estar disposto a bancar os custos que a dita conquista traz consigo. Você quer que a igreja cresça? Deve estar disposto  a conviver com pessoas que não tenham o comportamento cristão. Quer ajudar os pobres? Deverá estar disposto a caminhar pelo barro e beber água contaminada. Quer formar discípulos? Deve estar disposto a suportar a imaturidade e a necessidade deles. Cada projeto possui os seus aspectos desagradáveis. Não podem ser evitados. Devemos estar prontos a pagar o preço necessário para alcançar o êxito. 

Para refletir: Que coisas ocupam um elevado grau de importância em sua vida que não deveriam ocupar? Você já pensou nos custos dos seus projetos que estão em curso? O que você deve fazer para seguir avançando em direção ao êxito? 

Em Cristo, que nos ajuda a cada dia, 

Pr. Natanael Goncalves