Saúda-vos Epafras,  que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus (Cl 4:12). 

Os dados acerca de Epafras são escassos. Muitos comentaristas creem que ele foi uma peça chave no estabelecimento da igreja em Colossos, sendo ainda o companheiro de Paulo em sua primeira prisão. A verdade, no entanto, é que ficará perdido entre os milhares de heróis anônimos que foram parte da expansão do evangelho durante o primeiro século.

Nosso versículo de hoje, nos dá uma pequena visão da classe de pessoa que era Epafras. Um homem que entendia que, mesmo distante, podia afetar a vida de outros através de oração e súplicas. Segundo o testemunho de Paulo, esta intercessão era com uma intensidade e fervor que denotava uma paixão pouco comum entre aqueles que serviam. Não somente isto, mas este cristão mostrava grande discernimento no que diz respeito à igreja. Suas orações não estavam limitadas a petições com detalhes temporais desta vida, os quais nos ocupam tantas vezes. Epafras orava pedindo que se cumprisse neles aquela condição que garante resultados eternos, que pudessem estar firmes, que fossem perfeitos e realizados em toda vontade de Deus. Sem dúvidas, Epafras imitava o exemplo que via no apóstolo Paulo. Quase todas as epístolas dão testemunho de que Paulo orava frequentemente pelas igrejas que havia fundado ou visitado. Em Romanos testifica: “sem cessar faço menção de vós em minhas orações” (1.9). Em primeira de Coríntios ele declara: “sempre dou graças a meu Deus por vós (1.4). Em Efésios 1.16 compartilha: “não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós em minhas orações. Em Filipenses, Colosenses e também aos Tessalonicenses, vemos a mesma tônica de Paulo com orações e ações de graças por estas igrejas.

Estes servos de Deus entendiam que a oração é uma das armas mais efetivas que o cristão tem à sua disposição. Com oração podemos tocar vidas de maneira que não seria possível com outras atividades. Muitos, no entanto, pensam que o verdadeiro trabalho parece estar em reuniões, visitações e na atividade de aconselhamento. Uma frase atribuída a Richard Foster, diz: “Se realmente amamos as pessoas, desejamos para elas muito mais do que podemos dar-lhes, e isto nos leva a orar. Interceder é uma forma de amar a outros.” 

Para refletir: Você é daqueles que se esforçam intensamente a favor dos seus amigos, irmãos em Cristo, e ainda por outros, em suas orações? O que te impede que de gastar mais tempo orando por outros? Como isto pode se desenvolver em sua vida? 

Em Cristo, 

Pr. Natanael Goncalves