Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele, nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças (Cl 2:6-7).

Pense por um momento em como foi sua experiência de conversão. Por uma série de circunstâncias você experimentou uma profunda convicção de que algo estava faltando em sua vida, e esse algo era Jesus Cristo. Talvez você estivesse cansado dos problemas da sua própria existência, ou deprimido (a) porque seus esforços não produziam os resultados desejados. Talvez você estivesse no limite, sem nenhuma esperança de reverter sua realidade pessoal. Não importam quais foram as particularidades de sua própria experiência, você se deu conta de que somente Deus podia por ordem em sua vida. Você se entregou sem reservas nem condições, confessando sua fragilidade e pedindo ao Altíssimo para intervir naquela situação. Tudo o que você possuía era uma profunda convicção de que Jesus lhe oferecia o que necessitava.

No texto de hoje, vemos como Paulo animava aos colossenses a que caminhassem no mesmo espírito com que começaram sua vida espiritual, isto é, com a mesma simplicidade e confiança que caracterizou a conversão deles. Esta exortação, não é em vão, pois a tendência de cada um de nós é abandonar a simplicidade do primeiro amor para envolvermos com as complexidades de uma experiência religiosa, com suas longas listas de exigências e demandas. A vida em Cristo, todavia, é uma relação, e deve ser conduzida com a mesma paixão e confiança absoluta que caracterizou nossos primeiros tempos no evangelho. Para tornar isso claro o apóstolo fala de quatro aspectos considerados essenciais na caminhada diária com Cristo. Primeiro, ele se refere às raízes de uma planta, que nutrem e fortalecem. Além disso, o filho de Deus deve ser firmemente enraizado na pessoa de Cristo, procurando de sua pessoa os nutrientes que necessita. Em seguida, o apóstolo faz referência a um edifício, incentivando que, tudo o que for construído também o seja em Cristo. Ou seja, todos os projetos e empreendimentos do discípulo devem ser permeados e impregnados com a pessoa de Jesus. Um terceiro elemento tem a ver com a confirmação da fé. Nisto devemos outorgar ao Senhor a oportunidade de demonstrar que todas as ações tomadas pela fé tem seus frutos e sua recompensa n’Ele. Finalmente, Paulo, encoraja a todos, no sentido de que, a experiência de andar em Cristo seja envolvida, em todo o momento, com expressões contínuas de gratidão.

Para refletir: Na sua caminhada com Cristo, você possui o mesmo ardor e simplicidade do primeiro amor pelo Senhor?

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Goncalves