E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia de água.  E ele estava na popa dormindo sobre uma almofada; e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não te importa que pereçamos? (Marcos 4:37-38). 

Como não entender a indignação dos discípulos! Imagine-se por um momento nessa cena.  Uma violenta tempestade se abatia por todos os lados. O vento soprava forte e as ondas castigavam violentamente o barco. Os discípulos, ensopados pela espuma do mar, lutavam desesperados para não afundarem, uma vez que a água entrava na embarcação com a fúria da tempestade. E Ele, onde estava? Na popa, dormindo. Como evitar a conclusão de que o Senhor não se interessava por suas vidas?

Por que dormia o Mestre? Com certeza dormia porque estava esgotado, pois havia passado o dia inteiro ensinando às multidões. Suspeito, no entanto, que a sua despreocupação tem outra origem. As instruções para passarem para a outra margem haviam sido dadas por Ele mesmo. Não obstante, podemos afirmar com toda a confiança, que estas instruções não nasceram  de modo próprio. Em João 5:30 Ele disse: “Não posso fazer nada por mim mesmo”. Mais adiante, em 6:38, ele observa: “Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou”.    Deste modo não estamos errados ao afirmar que estas ordens de cruzar até a outra margem, Jesus as recebeu do Pai.

É neste detalhe que podemos encontrar a razão da postura de Jesus em meio a tormenta. O Filho de Deus não estava preocupado porque sabia que o Pai se encarregaria de que chegassem ao outro lado. Sua despreocupação estava fundamentada na convicção de que o Pai velava pelo seu bem-estar. Se Deus havia mandado que cruzassem para o outro lado, quem poderia impedir?

Como cristãos verdadeiros, necessitamos ter esse descanso, pois ele é próprio de quem sabe para onde está indo. A convicção de que estamos dentro da perfeita vontade de Deus, nos faz agir e dizer como Moisés, quando o povo chegou ao Mar Vermelho, tomados de pânico. Podemos dizer àqueles que estão conosco: “Não temais; estai quietos e vede o livramento do Senhor…” (Ex 14.13).

Aquele que está absolutamente seguro do que está fazendo goza de confiança e paz. E o único modo de estar seguro do que se está fazendo, é, antes de tudo, buscar a vontade d’Aquele a quem servimos. Se você está caminhando dentro da trilha que Ele preparou de antemão para que você andasse nela (Ef 2:10), então, não há tempestade ou tormenta que possa impedi-lo (a)! Avance tranquilo (a), Deus está no controle. 

Para refletir: Você pode explicar claramente aonde você se dirige? Sabe por que está indo nessa direção? Que evidência você possui de que essa é a direção que Deus lhe tem indicado? 

Em Cristo Jesus, que sempre ordena os nossos passos, 

Pr. Natanael Goncalves