Quando tu disseste: Buscai o meu rosto, o meu coração te disse a ti: O teu rosto, SENHOR, buscarei (Salmo 27:8).

No texto de hoje, Davi compartilha conosco sua experiência. Se levarmos em consideração o significado profundo dessas linhas, poderemos aprender uma grande lição. Antes de mais nada, precisamos saber que é muito comum pensarmos que somos os protagonistas de tudo o que acontece ao nosso redor. Nossa perspectiva egoísta nos leva a conceber que a vida e o mundo não podem andar sem a nossa ingerência ou participação. Este conceito acaba por entorpecer e atravancar o nosso desenvolvimento espiritual. Uma coisa leva à outra, ou seja, essa visão distorcida nos conduz ao entendimento de que o estar perto de Deus ou acerca d’Ele, depende do nosso próprio esforço. Já ouvi pessoas dizerem: “eu busco a Deus, mas não consigo estabelecer uma relação significativa com Ele”. Condenam-se a si mesmos por falta de devoção e realizam intermináveis promessas de começar de novo. Para alguns, alcançar o Senhor parece coisa muito difícil. Davi dá um testemunho do que ouvia em seu coração: “Buscai o meu rosto!”. Estas palavras que soavam aos seus ouvidos espirituais, eram um convite divino. Como resultado dessa percepção, o salmista responde e passa a desfrutar desse encontro maravilhoso com Deus. Note como é simples o processo e quão fácil é encontrar o Senhor com este procedimento. A simplicidade se deve, precisamente, ao fato de que foi Deus mesmo quem o buscou e assim é conosco. Muito antes de elaborarmos um projeto para alcançá-lo, Ele vem ao nosso encontro.

Então, em que consiste esta relação com o Senhor? Quais são as dinâmicas que governam estes encontros espirituais? A resposta trabalha com atitudes. Devemos abandonar nossas próprias técnicas e metodologias para estabelecer uma relação com o nosso Pai Celestial. Não somos nós que impulsionamos a relação, mas Ele. É necessário relaxar e permitir que Ele nos seduza com os seus convites. Para isto devemos aprender a aquietar a agitação interior que nos acompanha dia a dia. O Pai anela essa relação e buscará, de mil maneiras diferentes, fazer o mesmo convite que transmitiu ao salmista: “Buscai o meu rosto!”. Se compreendermos que Deus insiste, em todo o tempo, acercar-se a nós, perceberíamos que todo o nosso esforço é ineficaz. Nós não temos que sair a buscá-lo, porque Ele já saiu a buscar-nos. Em nossa atitude de aquietar-nos poderemos ouvir sedutores convites que nos farão responder: “O teu rosto, Senhor, buscarei!”.

Para refletir: Tenho plena convicção de que o Senhor o está buscando exatamente agora. Como você responderá a esse convite? 

Nele que disse: Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração,

Pr. Natanael Gonçalves