E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás (Gênesis 2:16-17).

Deus criou o primeiro homem e a primeira mulher e os colocou em um horto pleno de deleites e de felicidades. Será que conseguimos imaginar essa dimensão? A seguir, lhes entregou toda a criação para que a desfrutassem plenamente (Gn 2.9, 16, 19-20). Entregou, também, um ao outro para que fossem companheiros e amantes (Gn 2:21-25) e, acima de tudo, lhes concedeu a sua própria bênção e favor. O Senhor somente lhes negou uma coisa: proibiu-os de comer a fruta da árvore do conhecimento do bem e do mal. O desejo de Deus, era que confiassem n’Ele, pois Ele mesmo havia determinado o que era bom e o que não era, para o primeiro casal. Eles não necessitavam ter seu próprio conhecimento do bem e do mal. Aliás, comer aquela fruta seria o mesmo que dizer a Deus que não estavam dispostos a permitir-Lhe que escolhesse o que era melhor para eles, seria algo como uma declaração de independência e rebelião. O Pai amoroso havia advertido o casal que a desobediência, isto é, o fato de comer da árvore proibida os levaria à morte; sim, a morte do espírito e a morte física (Gn 2:17).

No relato de Gênesis 3, somos informados sobre a serpente, no entanto, neste texto não somos informados que foi Satanás que falou através do animal. Todavia, o Novo Testamento confirma que, de fato, assim foi (2 Coríntios 11:4, 14; Apocalipse 12:9). A pergunta de Satanás a Eva, tinha a intenção de retratar a Deus como alguém cruel e injusto (Gênesis 3:1). Então, o Tentador afirmou que Deus lhes havia mentido quando os avisou que a desobediência deles, lhes traria a morte (Gn 3:4). O Diabo lhes prometeu: “Sereis como Deus” (Gn 3:5-6); e isto equivale dizer que se assemelhariam tanto ao Altíssimo, que teriam Seu poder e Sua sabedoria e, desta forma, já não necessitariam obedecer-Lhe e nem estariam obrigados a Ele. Eva tomou a fruta e a compartilhou com seu esposo, Adão.

O primeiro casal, não teria motivo algum para crer mais na serpente do que em Deus, que os havia criado e lhes dado tanta felicidade. Portanto, foram ingratos e rebeldes! Satanás lhes prometeu muito, mas, imediatamente, comprovaram que era um enganador. No momento em que comeram da fruta, um forte sentimento de culpa, vergonha e medo tomaram conta deles. Tiveram vergonha de sua nudez e fizeram uma espécie de tanga, com folhas, para tentar cobrir suas partes íntimas. Tiveram medo de Deus e tentaram esconder-se d’Ele (Gn 3:7-8). Um outro fato muito importante a destacar é o que está contido no verso 11 que nos diz: “Perguntou-lhe Deus: Quem te fez saber que estavas nu? Em outras palavras: Quem colocou essa informação na tua mente? Uma informação que eu não coloquei? Satanás continua trabalhando da mesma forma. Ele engana e subjuga o homem, utilizando as mesmas técnicas. Sussurra aos ouvidos, fazendo com que a mentira seja a expressão da verdade.

Para refletir: O homem sem Deus está perdido e enlaçado por Satanás. Entretanto, muitos cristãos não possuem um coração disposto à obediência da Palavra. Dizem que estão salvos e, por causa da graça que receberam, possuem a liberdade para viver do modo como entendem ser melhor para eles. Em contrapartida, o ponto relevante é: se não existir a obediência, a rebeldia contra Deus e Sua Palavra se torna uma realidade. Essas pessoas devem recordar que os avisos de Deus são verdadeiros e que a desobediência é pecado. O pecado, por sua vez, conduz ao tormento, à vergonha e à destruição eterna.

Pr. Natanael Gonçalves