novavida

Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem,  que e corrompe pelas concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem, que, segundo Deus,  é criado em verdadeira justiça e santidade (Efésios 4:22-24).

Há na igreja um motivo de preocupação:  trata-se da falta de evidência de uma conversão moral na vida de muitos que são contados como povo de Deus. Muitas pessoas que dizem estar há anos no “caminho”, continuam demonstrando os mesmos comportamentos questionáveis quando estavam no mundo. Somos testemunhas de que a mentira, a falsidade, a desonestidade e a falta de transparência estão instaladas  dentro de muitas igrejas. Se por um lado isto é muito comum no sistema mundano, por outro, é muito triste verificarmos estas condutas praticadas, quase que naturalmente, entre os filhos de Deus. Paulo, em uma extensa passagem dedicada a este tema, exorta claramente aos cristãos: Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem”. O verbo “despojar” nos indica que o modo de viver anterior, deve ser descartado, enterrado e repudiado. Fica claro que a velha natureza não pode ser redimida. Não se trata aqui de buscar uma forma de melhorar o que fazíamos de errado em tempos passados, contudo é bom lembrar que, aquele que está em Cristo, deve andar em novidade de vida, com atitudes e comportamentos inteiramente novos. Paulo provê claros exemplos do que significa andar em novidade de vida e, isso inclui deixar a mentira (Ef 4:25), a ira (v. 26), o roubo (v. 28), as palavras torpes (v. 29) e os gritos e malícia (v. 31). O discípulo de Cristo deve andar na verdade, na ternura, na generosidade e nas palavras que promovem edificação. No capítulo seguinte, o Espírito Santo, através de Paulo, nos exorta também a deixarmos de lado a imundícia, as conversas néscias e as brincadeiras grosseiras, cujo termo aparece como chocarrice em 5:4.

A alternativa para todo aquele que recebeu a Jesus em sua vida, é revestir-se do novo homem. Note, uma vez mais, que não se trata de uma reforma do velho homem, mas o de vestir-se com o novo. A chave para isto é o processo de transformação da nossa mente, produzida pelo Espírito de Deus. É por esta razão que o apóstolo menciona que o novo homem é criado em verdadeira justiça e santidade. É justamente por sua origem, que essas características são inteiramente diferentes das do velho homem. 

Para refletir: Aquele que nasceu de novo deve ser exemplo de uma vida eticamente transformada. A honestidade, a sinceridade, a verdade e a transparência devem ser qualidades visíveis na vida de todo cristão verdadeiro. 

N’Ele, que nos fez novas criaturas, 

Pr. Natanael Gonçalves