Estai em mim, e eu, em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer (João 15:4-5). 

Quando o ramo é cortado da planta, imediatamente, seca-se e morre. Ele não pode subsistir por si só e muito menos poderá dar fruto, pois todos os elementos necessários à vida, estão na videira. Não se pode, também,  armazená-los nem tampouco desenvolver a capacidade de prover para sua própria necessidade. Sua única esperança é a de nutrir-se da videira e, para isso, deve permanecer nela.

No texto de hoje, vimos Jesus convocando os discípulos a permanecer n’Ele, porque sem Ele, não poderiam fazer nada. Para uma melhor compreensão é importante notar o aspecto categórico da frase: “sem mim nada podereis fazer”.  Isto não significa que, separados d’Ele, as coisas iriam ficar mais difíceis. Não! O que fica bem claro é que não haveria uma só coisa que os discípulos poderiam realizar se não estivessem n’Ele. O que representa, então, esse “permanecer” n’Ele? Veja bem: o ramo possui uma relação contínua com a planta e, por isso, não marca um encontro com ela uma ou duas vezes por semana, antes, necessita nutrir-se dela a todo instante. Desta forma, o “permanecer”, em seu sentido mais simples, implica em abrir-se à vida que Cristo quer produzir em nós. É focar n’Ele, buscando que Ele seja o “tudo” de nossa existência. Jesus, todavia, adicionou uma outra condição para se dar fruto. Ele destacou aos discípulos que, também, era necessário Ele permanecer neles. Alguém pode questionar: De que modo Ele permanece em nós? O Senhor continua explicando: “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós” (verso 7), dando a entender que não se tratava somente em buscá-Lo, mas que também se prestasse atenção ao que Ele dizia e ensinava.  No caso de não entenderem, Ele acrescentou: “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor”(verso 10). Em outras palavras, toda nossa devoção, nosso louvor e nossas orações, não terão sentido se não tivermos uma vida de obediência a Cristo. Cumprindo os seus mandamentos, estamos certos de que Ele participa de nossas vidas e não somente nós na d’Ele. 

Para refletir: Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama;  e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele (João 14:21).

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves