“O ladrão não vem senão a roubar, matar e a destruir; eu vim para tenham vida e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas” (João 10:10-11).

Esta passagem destaca o contraste entre as intenções do Bom Pastor e as do ladrão. É bom notar que a estratégia do ladrão não é dirigida contra o bom pastor, mas contra as ovelhas.  Cristo afirma claramente quais são os objetivos desse ladrão. Ele não veio para distrair-nos ou para tornar mais difícil a nossa existência. Não! Ele tem planos muito mais contundentes do que isso, e não irá descansar até que tenha concretizado a destruição total da pessoa.

Começa com o roubar. Quando rouba, leva a nossa capacidade de experimentar a vida espiritual, nossa possibilidade de ter comunhão e desfrutar demonstrações de amor.  Rouba também nossa faculdade de experimentar alegria e paz e de ver a vida com esperança. A ausência destas coisas produz estragos terríveis em nossa própria identidade e nos conduz a uma vida cheia de conflitos e dor. A seguir, impõe morte e destruição, referindo-se à morte física e à morte espiritual, que é eterna. O propósito de Cristo Jesus, no entanto, é dar, reviver e construir. Sua natureza se expressa em generosidade sem reservas.

Para refletir: Você tem sido roubado (a)? Observe que não ponho em evidência os bens tangíveis, mas aqueles que tratamos acima. Já parou para refletir sobre isso?