E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação (1 Pedro 1:17).

Os versos 17-21 de 1ª de Pedro, giram em torno deste mandado específico. O temor ao Altíssimo tem de influenciar a conduta de cada cristão. Pedro provê razões, pelas quais devemos temer a Deus. Primeiro, porque Ele é o nosso Pai e será o nosso Juiz (v.17). Pedro usa a figura de filho e pai para descrever a relação entre nós e Deus. No entanto, adiciona que Ele também será nosso Juiz. Deus é o Juiz que avalia nossa obra e conduta. Assim, tanto a submissão ao Pai como o respeito ao Juiz, devem motivar-nos a mostrar profunda reverência para com o Altíssimo.

Qual é o temor a que Pedro se refere? É o temor de pecar e de entristecer o coração do Pai com atitudes mundanas e em fazer coisas que não lhe agradam. Devermos evitar cair no extremo de crer que Deus é um Juiz que reside bem longe ou de estarmos tão seguros de Seu amor, a ponto de pensar que Ele tolera a nossa transgressão. Como filhos, devemos encarar com seriedade o pecado e o que significa levar uma vida de pureza. Estamos interessados em ser conformados à imagem de Cristo? Deus espera a obediência e o crescimento espiritual de Seus filhos, posto que Ele nos capacitou dando-nos a sua Palavra e o Seu Espírito. Portanto, não há desculpas ou justificativas!

Momento de Reflexão: Como você vive a sua vida cristã? Esta pergunta demanda uma avaliação do coração, pois o que está ali, é revelado através de posturas, atos e palavras. Se há temor de Deus no coração, a natureza humana será dominada e o caráter do cristão será moldado ou conformado ao caráter de Cristo (Romanos 8.29). Medite sobre isso.

Em Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves