Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências (1 Pedro 2:1).

Pedro fala de uma lista de erros e pecados que o cristão deve evitar no relacionamento com outras pessoas, e que são opostos ao amor. O viver debaixo das pressões de uma sociedade hostil pode provocar emoções e condutas negativas. Vejamos: Malícia é o impulso interno que deseja fazer dano a outro. Engano significa literalmente fisgar com uma isca. Esta palavra fala de mentir para despistar e manipular. Hipocrisia está ligada à malícia e ao engano, ou seja, uma pessoa que desenvolve a malícia e pratica o engano, deseja esconde-lo. Finge ser outra coisa com o fim de ajudar a melhorar sua reputação pessoal ou para conseguir um benefício. Invejas e maledicências falam de acusação e difamação.

Cada vício surge daquele que o precede, formando uma genealogia dos pecados contrários ao amor. Da malícia, nasce o engano; do engano nasce o fingimento; do fingimento; nasce a inveja e da inveja, a maledicência. Na cerimônia do batismo, alguns cristãos primitivos possuíam o costume de tirar a roupa antiga e vestir uma túnica branca para indicar a mudança nas atitudes e conduta. Possivelmente, Pedro tem em mente que esses pecados, são como a roupa suja da vida anterior que o cristão deve tirar e destruir. Portanto, despojai-vos!

Momento de Reflexão:  Quem professa ser um cristão verdadeiro, de fato, deixou para trás os hábitos e pecados próprios de quem não conhece a Deus. Estas coisas listadas por Pedro estão ligadas à natureza humana; não obstante, o crente em Cristo vive numa outra esfera: a esfera do amor e da submissão às Escrituras. Assim, ele faz morrer a sua natureza (Cl 3:5), para dar lugar a um agir da nova vida em Cristo. Uma pergunta para sua reflexão: diariamente, quem fala mais alto? o Espírito de Deus que você afirma  habitar em sua vida, ou a sua natureza terrena? Examine-Se! Deus te abençoe!

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves