Bem sei eu, ó SENHOR, que os teus juízos são justos e que em tua fidelidade me afligiste (Salmo 119:75).

A segunda parte da declaração do salmista nos leva a um plano que é muito mais difícil de aceitar. Muitos entre nós, se oporiam com veemência a esta afirmação: “que Deus, em sua fidelidade, nos aflige”. Sabemos que as aflições são parte da vida, ainda que alguns não consigam aceitar essa verdade. As Escrituras nos indicam que o nosso Pai Celestial permite a existência destas aflições para o nosso bem e que devemos buscar nele a fortaleza e a integridade que necessitamos para passar por elas.  

Contudo, o texto adiciona ao tema das aflições uma observação que nos incomoda. Nele, o salmista declara que as aflições são uma demonstração do amor do Senhor para conosco. Como podemos abraçar esta verdade se o sofrimento produz em nós tanta angústia? O Senhor, todavia, investe em nós com a eternidade em mente. Há lições que devemos aprender enquanto nosso caráter vai sendo polido e refinado. Portanto, o salmo em destaque nos leva a entender que o Senhor não somente permite a aflição em nossas vidas, mas que, às vezes, a produz. E, a razão de tudo, está em Seu amor para conosco.

Para refletir: Você consegue enxergar o amor de Deus em todos os aspectos da sua vida? Mesmo aqueles de aflição?

Pr. Natanael Gonçalves