Porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho (Hebreus 12:6).

A questão da disciplina é algo difícil de entender, especialmente porque estamos tão condicionados pela cultura em que vivemos. Em muitos ambientes educacionais descarta-se qualquer tipo de disciplina para os alunos, pois considera-se que o dano emocional de uma disciplina é irreparável. Influenciados por esta filosofia humanista, muitos pais cristãos abandonaram  a responsabilidade de disciplinar seus filhos, esquecendo com isto, que ela é necessária para criá-los no temor do Senhor e para que se vejam os resultados positivos em suas vidas.

Hoje, queremos meditar sobre a disciplina como resultado de um compromisso amoroso à pessoa disciplinada. Note em primeiro lugar que a disciplina e o amor não são incompatíveis. Pelo contrário, o autor de Hebreus diz que uma das formas de conhecermos o amor de Deus por nós é a disciplina que Ele traz sobre as nossas vidas. Esta aparente contradição é mais fácil de entender quando não nos concentramos no processo da disciplina, mas no produto dessa experiência, pois ela é um investimento que dará frutos aqui, nesta terra, e também para eternidade. Por último, quem sofre a disciplina experimenta o desagradável, mas, para o nosso bem, o Pai não desiste dela.

Momento de reflexão: Quando a disciplina é necessária? Quando caminhamos pela trilha da desobediência. A Palavra de Deus nos mostra a vontade do Pai para as nossas vidas. No entanto, quando insistimos em obedecer somente àquilo que nos convém, e não damos ouvidos à voz do Espírito Santo, precisamos ser disciplinados. Por fim, separe um tempo e medite em Hebreus 12:6-13.

No amor do Pai,

Pr. Natanael Gonçalves