Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos (Ver 1 Pedro 2.21-25).

O Espírito de Deus que vive em nós, nos proporciona ajuda e capacitação para que possamos ser imitadores de Cristo. Nesta passagem, temos alguns aspectos de seu comportamento modelo. O juízo, a sentença condenatória, as injúrias e a crucificação de Jesus, são os atos mais injustos que a história registra, posto que Ele foi o único Perfeito, Santo e Obediente a Deus em todos os detalhes.

Jesus também demonstrava amor, compaixão e se importava com as pessoas. Aqui está o ponto em destaque para o cristão: Fomos chamados para seguirmos o exemplo de Cristo, o qual padeceu com paciência, mesmo não merecendo o sofrimento. Nenhuma injustiça se pode comparar com a que Jesus sofreu. O termo exemplo era um vocábulo que os gregos usavam com relação às letras bem escritas nos cadernos dos alunos na escola. Eles tinham que copiar as letras exatamente como as de um modelo para aprender a escrever bem.

O cristão, como bom aluno e discípulo de Cristo, tem que copiar exatamente seu comportamento para aprender na escola de Deus e sair aprovado. Nenhuma injustiça se pode comparar com a que Cristo sofreu. Assim sendo, não deveríamos sentir vergonha quando reagimos com veemência ao padecer uma injustiça?

Momento de reflexão: Verdadeiramente as injustiças provocam em nós certa indignação. Não é pecado ter esse tipo de sentimento, todavia, a questão é: como reagimos à injustiça que sofremos? Antes de qualquer coisa, deveríamos perguntar: se Jesus estivesse em meu lugar qual seria a Sua atitude? Deus quer moldar-nos ao caráter de Cristo (Rm 8.29; 2 Co 3.18) e, às vezes, as injustiças sofridas, são apenas parte do exercício de transformação. Você passa no teste?

Em Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves