…eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo (Gênesis 4:6-7).

Quando escolhemos fazer o que não é correto, ou viver de modo contrário à Palavra de Deus, optamos por um estilo de vida que trará certas consequências. Dirigindo-se a Caim, Deus escolheu a frase o pecado jaz à porta. A palavra jaz poderia traduzir-se por estar agachado e descreve a postura de um animal de caça que estuda intensamente a sua vítima para dar o dramático salto que o porá sobre domínio total de sua presa.

Penso que já vimos essa imagem em documentários na figura de um leopardo que, escondido nos arbustos, espreita e se acerca de sua vítima que nada suspeita de sua presença. Continuando com esta analogia, o Senhor insta a Caim a que domine o animal que está por atacar. Em outras palavras, vendo sua postura agachada, devia tomar a iniciativa e atacar antes de ser atacado.

Com isto, aprendemos uma outra importante lição a respeito do pecado: é nossa responsabilidade não permitir que se faça forte em nosso interior. Ninguém pode fazer isto por nós! Devemos resistir suas artimanhas e opor-se à sua presença, antes que suas garras afiadas possam arranhar-nos. Uma postura de permanente vigilância é indispensável para resistir ao pecado. Lembremo-nos do alerta de Jesus: Vigiai e orai, para que não entreis em tentação… (Mt 26:41).

Momento de reflexão: O pecado é destrutivo. Por isso, quem o corteja, flerta com a ruína. Ele nos afasta de Deus e o seu custo é muito alto. Quando perdoado, recai sobre a cruz do Calvário; quando não, sobre o pecador. 

No amor de Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves