Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar?… (Mt 5:13).

O sal sempre foi usado para dar sabor à comida. Jesus comparou a função dos discípulos no mundo com o sal. Ele é inteiramente diferente da iguaria e mantém seu sabor distinto. Não adquiri o gosto da comida quando é adicionado à mesma, mas o alimento, este sim, alcança sabor pela presença do sal. Da mesma sorte, um discípulo de Cristo deve possuir uma vida diferente das pessoas ao seu redor. Quando participa de atividades e eventos nos quais mantém contato com as pessoas do mundo, o cristão deve, claramente, contagiar a outros com seus princípios e conduta e não adquirir, de modo algum, o sabor do mundo. Observamos também que o sal é mais efetivo quando usado em medida certa. Se empregado em demasia, não se poderá comer o alimento. Da mesma forma, a presença do cristão no mundo se torna mais efetiva, quando seu testemunho é produzido de modo natural e espontâneo, como parte de sua experiência cotidiana. Considere também que, no mundo, ele deve influenciar para preservar o homem da podridão que o pecado produz. Onde estão os filhos de Deus, a ação redentora do Senhor está presente.

Para refletir: O sal possui uma outra característica bem marcante. Não observei acima, porque havia deixado, de forma proposital, para o momento em que sempre encerro essas pequenas publicações. De fato, para você que é cristão, é bom refletir a respeito, e digo logo do que se trata: o sal também provoca sede. Desta forma, se você é o sal da terra, você tem provocado em alguém sede, ou um desejo veemente de conhecer a Deus? Pense sobre isso!