Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra… (Atos 4:29)

Todos aqueles que se identificam com Cristo, já decidiram servi-lo com inteireza de coração, sabendo, entretanto, que enfrentarão diferentes tipos de perseguição, a qual é parte do preço  a pagar por segui-lo. O fato é que não pertencemos a este mundo e nem nos conformamos com os seus parâmetros. Tal como uma substância estranha em nossos corpos, o mundo busca expulsar todo aquele que não lhe pertence. Todavia, a questão chave para nós, não é se vamos sofrer, mas qual deve ser a nossa atitude diante das dificuldades.

Na maioria das vezes, quando as pessoas padecem, procuram a todo custo uma maneira de eliminar esses problemas. Todas as suas orações vão numa única direção: “Senhor, peço que me tires desta condição ou que tires esta dificuldade do meu caminho”. Note que os apóstolos não oraram desta maneira. Entendiam que a oposição era parte do chamado. Sendo assim, pediram a Deus que lhes desse fidelidade em meio à tormenta. Isso agradou o coração do Pai, o lugar tremeu e todos foram cheios do Espírito. 

Para refletir: A vida cristã não nos garante uma navegação tranquila, mas sim a chegada no porto. Nos momentos de tormenta, os quais, via de regra, são causados por Satanás, como você os enfrenta?, ou melhor; como você ora em meio a essas situações complicadas?