Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus… (Salmo 46.10).

Vivemos em tempos, onde, esperar é cada vez mais desagradável. Quando, em tempos de outrora, a demora se media em questões de dias e meses, hoje, consideramos “demora”, o tempo que o nosso computador leva para abrir um programa, ou o que o micro-ondas requer para esquentar algo, ou ainda, quando o semáforo tarda em mudar.

Ao fazermos essa pequena análise, vemos que a impaciência se instalou com tal prepotência em nossas vidas, que passamos a medir o uso eficaz do tempo em questão de segundos.  Mesmo quando a espera é pequena, nosso espírito inquieto não pode controlar os sentimentos de ansiedade e afã, que são próprios da existência do homem na sociedade moderna. O salmista acrescenta um elemento importante ao processo de aquietar o espírito e dominar os impulsos do desespero: “sabei que eu sou Deus.”

Um dos mais importantes fatores na vida, é responder de forma positiva aos permanentes convites do Senhor de caminhar com Ele e a buscar a Sua mão. Deste modo, poderíamos definir a paciência como o desafio de desfrutar a Deus em meio às circunstancias que nos convidam à preocupação e à ansiedade.

Para refletir: Uma questão para se responder diante do espelho: Você precisa desenvolver a paciência?

Pr. Natanael Gonçalves