Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que são forasteiros da Dispersão no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia (1 Pedro 1:11).

Os judeus cristãos haviam sido literalmente expatriados e teriam que viver longe de sua nação. De certo modo, todos os crentes em Cristo Jesus, experimentam o mesmo no plano espiritual. Hebreus 11:13 nos ensina que somos estrangeiros e peregrinos na Terra, porque vivemos longe de nossa pátria celestial onde se encontra nossa verdadeira cidadania. Por esta razão, temos que habitar no meio de uma sociedade que não nos aceita, como também num mundo que não oferece segurança. Todo cristão está exposto a perigos e injustiças da parte daqueles que não honram a Deus. Jesus disse:

Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece (Jo 15:18-19).

Viver sabendo que o cristão verdadeiro padece perseguição e é rejeitado pelo mundo, não traz consolo. Não obstante, saber que somos cidadãos da pátria celestial, da qual o nosso Deus e Pai é o Arquiteto e Edificador, e que possuímos um passaporte autenticado pelo sangue de Jesus, isto sim, nos enche de esperança e alegria. Assim sendo, caminhe com os olhos postos no Senhor e nas Suas promessas, pois algo maravilhoso nos espera no fim da estrada.

Momento de Reflexão: Quem entregou a sua vida a Cristo, deve viver na expectativa do céu. Também deve estar consciente de que a vida, aqui nesta terra, é breve e passageira. Portanto, o bem mais precioso que se pode ter, é uma relação de amizade e intimidade com o Autor da vida, pois, não demora muito, e O veremos face a face, em nossa verdadeira Pátria. 

Naquele que nos amou e foi prepar-nos lugar nas mansões celestiais,

Pr. Natanael Gonçalves