E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum (Marcos 9:29).

No texto de hoje, os discípulos tentaram expulsar um demônio de um jovem e não puderam. Jesus não estava entre eles, mas tão logo chegou, se ocupou do menino com uma autoridade que marcava um dramático contraste com a insegurança deles. Sentindo-se envergonhados, pediram uma explicação ao Messias. O comentário de Jesus, na resposta que lhes deu, indica que a oração deve ser parte fundamental do armamento que o servo de Deus utiliza para enfrentar o mal. Todavia, o momento para usá-la não é quando a batalha já está ganha. Não podemos deter-nos para afiar a espada quando o inimigo está sobre nós. O momento para orar é antes da batalha. Seguramente esta é uma das razões, pelas quais, Jesus está, frequentemente, se dirigindo a lugares solitários para orar. Nosso dia a dia requer vida de oração. Não sabemos o que vamos enfrentar mais tarde ou no dia de amanhã e não há como se preparar no último instante. Sempre prontos ou preparados são as características daqueles que estão acordados, vigilantes e atentos. Você investe tempo em oração?

Pr. Natanael Goncalves