Ufa! Que luta! (Ler Gênesis 32.24-31).  

 Então, disse: Já não te chamarás Jacó, e sim Israel, pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste (Gn 32.28) 

Temos muito que aprender com a luta que ocorreu entre Deus e Jacó, principalmente quando pensamos nas bênçãos do Pai. Podemos ver neste caso, que Deus forçou um de seus aliados a lutar com Ele. Será que Ele não poderia exigir o mesmo de nós? Se tal luta ocorrer, não é necessário que seja uma luta física. A luta pode ser no reino espiritual, vislumbrada em primeiro lugar na vida de oração, perseverança tenaz e apego ao Senhor, apesar das circunstâncias adversas. Por trás de tudo o que Deus faz, há sempre um propósito. Se, porém, ocorrer uma luta com Deus, se exigirá muito mais esforço do que quando Ele nos sustenta e nos encoraja.

Quando estamos em estado de desânimo e precisamos de encorajamento e sustento, nosso Deus está sempre pronto para ajudar-nos. Contudo, devemos fazer a parte que a nós é devida e isso demanda esforço. No caso de Jacó, a luta física durou toda a noite. Se você luta com Deus espiritualmente, não há limite de tempo. Ainda que o processo seja bastante doloroso, a prova prolongada ocorre pelo expresso propósito de Deus em aperfeiçoar-nos e abençoar-nos. Além disso, esse empreendimento exige firmeza e determinação. Muitos estão lutando contra a vontade do Pai, mas, nessa luta com Deus, a única maneira de ganhar é permitir que Ele vença e, assim sendo, devemos curvar-nos submissos totalmente a Ele. Reflita!

Pr. Natanael Gonçalves