E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito (Efésios 5:18).

Deus deseja que seus filhos sejam cheios do Espírito. O Senhor nos insta a sermos cheios, porque Ele é o mais interessado em produzir em nós essa condição. No entanto, precisamos saber que o enchimento do Espírito não se pode produzir em recipiente que está cheio de outra coisa.

Como cristãos, muitas vezes estamos pedindo o enchimento do Espírito sem darmos conta de que não existe, em nosso ser, espaço necessário para sermos cheios. A única maneira de experimentarmos o esvaziamento é por meio da cruz. Não me refiro à conversão, mas da negação de si mesmo, onde o nosso “eu” morre para dar lugar a Deus em nossas vidas.

Observando a analogia do vinho, aprendemos outra coisa: Quando alguém está embriagado, seus sentidos não respondem aos comandos que a mente lhe dá, pois está sob a influência de algo mais forte do que a sua vontade. Respeitando as devidas proporções, é assim o enchimento do Espírito. No cristão, será tão marcante, a ponto da carne propor-lhe uma atitude e ser-lhe, indubitavelmente, negada, pois maior é Aquele que está nele do que ele mesmo.

Em Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves