Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem,  que se corrompe pelas concupiscências do engano… (Ef 4:22-24).

Há na igreja um motivo de preocupação:  trata-se da falta de evidência de uma conversão moral na vida de muitos que são contados como povo de Deus. Somos testemunhas de que a mentira, a falsidade, a desonestidade e a falta de transparência estão instaladas  dentro de muitas igrejas.  Paulo, exorta claramente aos cristãos: “Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem”. O verbo “despojar” nos indica que o modo de viver anterior, deve ser descartado, enterrado e repudiado. É bom lembrar que aquele que está em Cristo, deve andar em novidade de vida, com atitudes e comportamentos inteiramente novos. Note que não se trata de uma reforma do velho homem, mas o de vestir-se com o novo. A chave para isto é o processo de transformação da nossa mente, produzida pelo Espírito de Deus. É por esta razão que o apóstolo menciona que o novo homem é criado em verdadeira justiça e santidade. É justamente por sua origem que essas características são diferentes das do velho homem. O discípulo de Cristo deve andar na verdade, na ternura, na generosidade e nas palavras que promovem edificação.

Para refletir: Há uma diferença muito grande entre o velho homem e o novo. O cristão deve, todos os dias, despojar do velho homem, ou como diz o mesmo apóstolo, fazer morrer a natureza terrena (Cl 3:5). O cristão verdadeiro, não deve se permitir atitudes que não se conformam com o caráter de Jesus. A pergunta é: Como cristão, você vive como o homem velho ou o novo?

Em Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves