Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens. Não vos vingueis a vós mesmos,  amados, mas dai lugar à ira... (Rm 12:18-19)

Paulo, no texto de hoje, nos dá uma orientação a respeito deste  tema. Ele nos recorda que a paz deve ser uma das características dos que andam em Cristo, porque seguem a um Deus de paz. A frase “quanto estiver em vós” nos adverte que o nosso chamado é para se esgotar todos os caminhos possíveis para cultivar e manter uma relação de paz com todos.

Há um custo em levar à prática esta exortação, pois em nosso interior existe uma indignação a exigir que o mal que sofremos seja corrigido. É nesse contexto que começamos a lutar com os desejos de vingança. Este sentimento instalado, deseja que a outra pessoa sofra algo similar ou pior do que temos vivido. Este sentir, alojado em nossos corações, é, em última instância, provocado por um espírito amargurado. Paulo nos exorta a entregar tudo isso nas mãos de Deus, pois Ele é Aquele que defende a causa de seus filhos e julga corretamente todos os elementos de uma situação e nos dá o discernimento do caminho a seguir. Quando deixamos as coisas em Suas mãos, estamos afirmando que Ele sabe o que necessitamos e fará o melhor para nós.

Para refletir: Somos chamados para abençoar vidas. Abençoar significa desejar o melhor e ser canal de bênçãos na vida de outrem. Todavia, muitos desejam que a mão de Deus pese sobre aqueles que os ofendem e até oram pedindo a justiça, o que, no fundo, é um sentimento de vingança. Jesus disse que o servo não é maior que o seu Senhor. O que fizeram com Jesus? Ele foi perseguido, caluniado, maltratado, escarnecido, injuriado, etc. Se fizeram assim com Ele, por que os seus servos estariam livres de tal coisa? O Senhor Jesus é o nosso modelo e, quando algumas dessas coisas acontecerem, que postura deve ter o cristão? Leia Romanos 12:17-21.

Que o Senhor te abençoe,

Pr. Natanael Gonçalves