Foi realmente Moisés quem escreveu isto, já que vários eruditos modernos dizem que a autoria é de várias pessoas?

PROBLEMA: Críticos eruditos modernos, acompanhando Julius Wellhausen (século XIX), afirmam que os cinco primeiros livros do AT foram escritos por várias pessoas, identificadas como J (Jeovista), E (Eloimista), S (sacerdotista) e D (deuteronomista), dependendo de quais seções refletem a característica peculiar de tais supostos autores. Entretanto, este versículo declara que “Moisés escreveu todas as palavras do Senhor” (Êx 24:4). Com efeito, muitos outros versículos na Bíblia atribuem este livro a Moisés (veja os itens 6 e 9 a seguir).

SOLUÇÃO: Aqui temos outro exemplo de que a crítica negativa da Bíblia está errada. Há uma evidência muito forte de que foi mesmo Moisés quem escreveu Êxodo. Primeiro, nenhuma outra pessoa daquela época tinha o tempo, o interesse e a habilidade para compor esse registro histórico. Segundo, Moisés foi testemunha ocular dos eventos e, como tal, estava qualificado para descrevê-los. Com efeito, o que está escrito é um relato expressivo de quem viu com os próprios olhos os espetaculares acontecimentos descritos, tais como a travessia do Mar Vermelho e o recebimento dos Dez Mandamentos. Terceiro, o mais antigo ensinamento judeu atribui este livro a Moisés. Isso acontece no Talmude judeu, bem como assim procederam vários escritores judeus, entre os quais Filo e Josefo. Quarto, o autor demonstra possuir um conhecimento detalhado da geografia do deserto (cf. Ex 14). Isso é altamente improvável para qualquer um que, diferentemente de Moisés, não tivesse muitos anos de experiência de vida naquela área. Isso também é verdade com relação ao conhecimento do autor quanto aos costumes e práticas do povo descrito em Êxodo. Quinto, o livro declara explicitamente que “Moisés escreveu todas as palavras” (Êx 24:4). Se não fosse ele que tivesse escrito, então isso seria uma mentira, que não poderia ser aceita, e não poderia ser a Palavra de Deus. Sexto, o sucessor de Moisés, Josué, declarou que foi Moisés quem escreveu a Lei. De fato, quando Josué assumiu a liderança depois de Moisés, ele exortou o povo de Israel dizendo que eles não deveriam deixar de falar desse “Livro da Lei” (Js 1:8), e que deveriam ter “o cuidado de fazer segundo toda a lei que… Moisés… ordenou” (Js 1:7). Sétimo, uma série de personagens do AT, depois de Moisés, atribuiu o livro de Êxodo a ele, inclusive Josué (1:7-8); Josias (2 Cr 34:14); Esdras (6:18); Daniel (9:11) e Malaquias (4:4). Oitavo, Jesus citou Êxodo 20:12, com a seguinte introdução: “Pois Moisés disse” (Mc 7:10 cf. Lc 20:37). Assim, ou Cristo está certo, ou os críticos é que estão. Como há forte evidência de que Cristo é o Filho de Deus, a questão é clara (veja Geisler and Brooks, When Skeptics Ask – Quando os Cépticos Perguntam -, 1990, capítulo 6). Nono, o apóstolo Paulo declarou: “Moisés escreveu que o homem que praticar a justiça decorrente da lei viverá por ela” (Rm 10:5, citando Ez 20:11). Temos assim base na autoridade apostólica e na autoridade de Cristo para assegurar que foi Moisés quem escreveu Êxodo.