Se é errado fazer imagens de escultura, por que então Deus ordenou a Moisés que fizesse uma?

PROBLEMA: Deus claramente ordenou em Êxodo 20:4: “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra”. Contudo, Moisés é instruído por Deus a fazer “dois querubins de ouro; de ouro batido” (v. 25:18). Se é errado fazer qualquer tipo de imagem, então por que Deus ordenou que Moisés fizesse imagens para pôr na arca da aliança?

SOLUÇÃO: A proibição de se fazer imagens de escultura foi especificamente determinada no contexto da adoração a ídolos. Há, então, várias razões pelas quais fazer um querubim não conflita com o mandamento de não se curvar diante de imagens esculpidas. Primeiro, não havia como o povo de Israel dobrar-se diante do querubim, no Santo dos Santos, já que as pessoas eram proibidas de entrar naquele lugar a qualquer tempo. Até mesmo o sumo sacerdote ia ao Santo dos Santos somente uma vez por ano, no Dia da Expiação (Lv 16). Além disso, a proibição não é de se fazer qualquer imagem de escultura para fins decorativos, mas de fazer imagens para qualquer tipo de adoração religiosa. Em outras palavras, a ordem era para não adorar nenhum outro Deus nem imagem de qualquer deus. Aqueles querubins não foram dados a Israel como imagens de Deus, mas de anjos. Nem foram dados para serem adorados. Daí a conclusão de que não há como a ordem de fabricá-los possa violar o mandamento de Êxodo 20. Finalmente, a proibição em Êxodo 20 não foi contra a arte religiosa como tal, o que inclui coisas no céu (anjos) e na terra (homens e animais). Ela foi contra o uso de qualquer imagem como ídolo. Que se pode depreender que o texto tinha em mente a idolatria é evidente, pelo fato de haver a instrução: “não te encurvarás a elas, nem as servirás” (Êx 20:5, SBTB). A distinção entre o uso não-religioso e o uso religioso de imagens é importante:

O USO DE IMAGENS

PROIBIDO

  • Objeto de adoração
  • Designadas pelo homem
  • Com propósito religioso
  • Para apresentar a essência de Deus
  • Sem qualificações

PERMITIDO

  • Não como um objeto de adoração
  • Designadas por Deus
  • Com propósito educacional
  • Para afirmar a verdade
  • Com qualificações

Até mesmo a linguagem utilizada para referir-se a Deus na Bíblia contém imagens. Ele tanto é pastor como pai. Mas essas duas imagens qualificam-no de forma apropriada, Deus não é simplesmente um pai qualquer. Ele é o nosso Pai Celestial. De igual modo, Jesus não é um mero pastor, mas o Bom Pastor, que deu a sua vida por suas ovelhas (Jo 10:11). Nenhuma imagem finita, sem qualificação, pode ser aplicada apropriadamente ao Deus infinito. Fazer isso é idolatria. E ídolos são ídolos, quer sejam mentais ou de metais.