senaqueribe

PROBLEMA: Muitos comentaristas consideram esta passagem como uma referência a Satanás, porque algumas versões (como a Vulgata) traduzem “filho da alva” com o nome “Lúcifer”. Entretanto, segundo Isaías 14:4, toda esta passagem, que vai de 14:4 até 14:27, é um provérbio contra o rei da Babilônia. Como pode ser então uma referência a Satanás, já que é uma profecia contra o rei da Babilônia?

SOLUÇÃO: Esta passagem é literalmente uma referência ao rei da Babilônia, mas o seu significado inclui a derrota final e a queda de Satanás. Muitas são as opiniões quanto à identidade desse rei da Babilônia. Alguns propõem que seja uma referência a Senaqueribe, um cruel inimigo do povo de Deus. Outros veem uma figura poética que personifica o reino da Babilônia como um todo. A palavra hebraica que corresponde a “Lúcifer” neste versículo tem o sentido de “brilhante”, como traduz a TLH: “Rei da babilônia, brilhante estrela da manhã”, Porque o rei da Babilônia desejou elevar-se como se fosse Deus, sua queda seria como se fosse do céu. Os paralelos entre esta passagem e outras do NT, tais como Lucas 10:18 e Apocalipse 20:2 indicam que ela pode ter uma aplicação mais ampla. A profecia foi dada àqueles que viviam nos dias de Isaías, e seu significado foi imediato para eles. Deus estava prometendo-lhes que seu inimigo, o rei da Babilônia e o próprio império que lhes era maléfico, seria por fim derrubado. Contudo, podemos tomar esta profecia como sendo uma descrição da derrota final do príncipe do mal que governa neste mundo, a quem por fim Deus destruirá (Ap 20:10).