PROBLEMA: Este texto e outras passagens das Escrituras (cf. Is 1:15; Tg 4:3) falam de Deus retendo sua bênção para aqueles que lhe clamam. Mas a Bíblia atesta, por outro lado, que Deus “a todos dá liberalmente”, a todos que lhe pedirem (Tg 1:5), “pois todo o que pede recebe” (Lc 11:10).

SOLUÇÃO: Tais textos estão falando de diferentes tipos de pessoas. Deus nunca retém a bênção prometida àqueles que o invocam com um coração sincero e arrependido. Mas ele de fato e a retém para aquele que não clamam “com fé, em nada duvidando” (Tg 1:6), ou que ” pedem mal ” para desperdiçá-la em seus próprios prazeres (Tg 4:3). Em resumo, Deus sempre concede as bênçãos prometidas ao que é fiel, mas ele nem sempre promete as mesmas bênçãos ao que não é fiel. Segundo, nem todas as prometidas bênçãos de Deus são incondicionais, como foi sua promessa unilateral de uma terra para Abraão e sua descendência (Gn 12; 14-15; 17). Muitas de suas bênçãos são condicionais e dependem da obediência de seu povo, tal como a aliança bilateral feita com Israel (“se diligentemente ouvirdes a minha voz…” Êx 19:5). De igual modo, Deus nunca promete que curará de todas as enfermidades a todos nesta vida. De fato, Deus recusou-se a curar Paulo, embora ele tivesse pleiteado por três vezes que Deus o aliviasse de sua carga (2 Co 12:8-9). Nem Deus promete fazer com que todos os crentes se enriqueçam nesta vida. Nesses casos, não importando quanta fé alguém possa demonstrar ter, Deus não irá necessariamente conceder a bênção nesta vida, uma vez que ele nunca fez uma promessa incondicional nesse sentido.