ego

PROBLEMA: Paulo vangloriou-se, quando declarou: “trabalhei muito mais do que todos eles”. Em 2 Coríntios 11:16, Paulo até mesmo admitiu que estava se gloriando um pouco, declarando que em nada ele era inferior aos demais apóstolos (cf. 2 Co 12:11). Mas o próprio Paulo admitiu que a jactância é algo errado, e que “ninguém se vanglorie na presença de Deus” (1 Co 1:29). E Provérbios exorta: “Seja outro o que te louve, e não a tua boca” (Pv 27:2).

SOLUÇÃO: Antes de mais nada é importante notar que, quando vangloriou-se, Paulo admitiu: “O que falo, não o falo segundo o Senhor e sim como por loucura, nesta confiança de gloriar-me” (2 Co 11:17). Além disso, Paulo qualificava suas vanglorias com frases do tipo: “ainda que nada sou” (2 Co 12:11) e “não eu, mas a graça de Deus comigo” (1 Co 15:10) e sua motivação não era o louvor a si mesmo nem a autodefesa, mas a defesa e a difusão do Evangelho. Finalmente, Paulo não se gloriou na carne. Ele se gloriou, porém, no Senhor e no privilégio de se humilhar e de ser perseguido por causa dele (2 Co 11:22ss). Tal tipo de “vangloria” está em perfeita harmonia com uma verdadeira humildade.