tome

PROBLEMA: Alguns críticos tentaram lançar dúvida quanto à validade da ressurreição de Cristo, insistindo que ele apareceu somente a crentes, mas nunca a incrédulos. Isso é verdade?

SOLUÇÃO: É incorreto declarar que Jesus não apareceu a incrédulos. Isso está claro por muitas razões. Primeiro, ele apareceu ao então maior dos que não criam em Jesus, Saulo de Tarso (At 9:lss). A Bíblia dedica uma boa parte de vários capítulos para contar essa história (At 9; 22; 26). Segundo, até mesmo os discípulos de Jesus eram ainda descrentes na ressurreição quando pela primeira vez ele lhes apareceu. Quando Maria Madalena e outros relataram que Jesus tinha ressuscitado, “tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas” (c 24:11). Mais tarde, Jesus teve de repreender os dois discípulos no caminho de Emaús quanto à descrença em sua ressurreição: “Ó néscios e tardos de coração para crer em tudo o que os profetas disseram!” (Lc 24:25). Mesmo depois de Jesus ter aparecido às mulheres, a Pedro, aos dois discípulos e aos dez apóstolos, ainda Tomé disse: “Se eu não vir o sinal dos cravos nas suas mãos e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei” (Jo 20:25). Após a ressurreição, Tomé dificilmente poderia ser considerado um crente. Finalmente, além de aparecer aos seus incrédulos discípulos, Jesus apareceu também a alguns que não eram absolutamente discípulos. Ele apareceu ao seu irmão Tiago (1 Co 15:7), que, com seus outros irmãos, não era crente antes da ressurreição (Jo 7:5). Assim, é simplesmente falso afirmar que Jesus não apareceu a descrentes.