PROBLEMA: João afirma que “o perfeito amor lança fora o medo”. Contudo, nos é dito que “o temor do Senhor é o princípio do saber” (Pv 1:7) e que devemos servir “ao Senhor com temor” (SI 2:11). Com efeito, Paulo disse: “conhecendo o temor do Senhor, persuadimos os homens” (2 Co 5:11).

SOLUÇÃO: Temor ou medo é usado com sentidos diferentes. O temor no bom sentido é uma reverente confiança em Deus. No mau sentido é um tormento apavorador em face do Senhor. Enquanto o temor apropriado proporciona um saudável respeito a Deus, o temor não sadio engendra um sentimento não saudável de que Deus está sempre a ponto de nos pegar. O perfeito amor lança fora esse tipo de “tormento”. Quando alguém compreende adequadamente que “Deus é amor” (l Jo 4:16), não pode mais temê-lo nesse sentido não saudável, pois “aquele que teme não é aperfeiçoado no amor” (1 Jo 4:18). Não obstante, em tempo algum o amor devido a Deus mostrará desrespeito para com ele. Pelo contrário, esse amor é perfeitamente compatível com um temor reverente a Deus, que é o que a Bíblia quer dizer com “temer a Deus” no bom sentido (cf. 2 Co 7:1; 1 Pe2:17).