PROBLEMA: Diversas vezes a Bíblia refere-se aos mortos como se estivessem dormindo. Isso quer dizer que a alma não fica consciente entre a morte e a ressurreição?

SOLUÇÃO: As almas tanto dos crentes como dos que morrem como incrédulos ficam conscientes entre a morte e a ressurreição. Os incrédulos ficam em consciente aflição (veja Lc 16:23; Mc 9:48; Mt 25:41) e os crentes, numa consciente felicidade. O verbo “dormir” é uma referência ao corpo, não à alma. E dormir é uma apropriada figura de linguagem para expressar a morte do corpo, já que a morte é temporária até a ressurreição, quando o corpo será “despertado” desse sono.

As evidências de que a alma (espírito) fica consciente entre a morte e a ressurreição são muito fortes:

1. Enoque foi tomado para estar com Deus (Gn 5:24; Hb 11:5).

2. Davi falou da felicidade que há na presença de Deus depois da morte (SI 16:10-11).

3. Elias foi tomado ao céu (2 Rs 2:1).

4. Moisés e Elias estavam conscientes no Monte da Transfiguração (Mt 17:3), muito tempo depois de quando viveram na terra.

5. Jesus disse que iria ao Pai no dia em que morreu (Lc 23:46).

6. Jesus prometeu ao ladrão que se arrependeu que este estaria consigo no paraíso naquele mesmo dia em que morreu (Lc 23:43).

7. Paulo disse que era muito melhor morrer e estar com Cristo (Fp l:23).

8. Paulo afirmou que quando deixamos “o corpo”, então habitamos “com o Senhor” (2 Co 5:8).

9. O autor de Hebreus refere-se ao céu como sendo um lugar onde os “espíritos dos justos” são “aperfeiçoados” (Hb 12:23).

10. As “almas” dos mártires que morreram durante a tribulação estavam conscientes no céu e clamavam a Deus (Ap 6:9,10).