PROBLEMA: Jesus exortou seus discípulos: “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra” (Mt 6:19). Lucas acrescentou: “Dá a todo o que te pede” (Lc 6:30). Em contraste, Paulo afirmou que “se alguém não o tem cuidado dos seus… tem negado a fé e é pior do que o descrente” (1 Tm 5:8). Provérbios 13:22 declara que “o homem de bem deixa herança aos filhos de seus filhos” (Pv 13:22). Mas como dar todo o nosso tesouro a Deus e aos outros, e mesmo assim deixarmos uma herança para a nossa família?

SOLUÇÃO: A Bíblia não nos está mandando dar todo o nosso dinheiro a Deus e aos outros. O AT estabeleceu o dízimo como sendo o mínimo que todos deveriam dar (cf. Ml 3:8), havendo bênção proporcional àqueles que contribuírem com ofertas (cf. 1 Co 16:2; 2 Co 8:14-15). Além disso, devemos ajudar os necessitados, especialmente os de nossa própria família e os demais crentes (1 Tm 5:8). Jesus de forma alguma pretendia que viéssemos a dar tudo o que temos. O seu conselho ao jovem rico nesse sentido foi um caso especial, já que o dinheiro tinha se tornado um ídolo para ele (veja Lc 18:22). Jesus encorajou-nos a sermos prudentes e econômicos e nos proibiu fazer dos “tesouros” o nosso principal bem. Ele nos incentivou a não sermos indevidamente “ansiosos” pelas nossas necessidades materiais (Mt 6:25) nem acumularmos de forma egoísta, tesouros na terra (Mt 6:19-20). Mas de forma alguma ele nos proibiu de investir o nosso dinheiro ou de planejarmos o futuro. Na verdade, ele fez uso de parábolas para nos ensinar a investir os nossos bens (Mt 25:14ss) e a determinar o custo antes de construirmos uma torre (Lc 14:28). Não há também nenhuma evidência de que os crentes primitivos tenham tomado aquela afirmação de Jesus (de dar a quem pedir) em seu sentido absoluto de dar tudo o que possuíssem. Mesmo considerando-se alguns versículos que, se não corretamente entendidos, parecem dizer o contrário, a igreja primitiva não praticou nenhuma forma permanente de comunismo ou socialismo. A maioria deles aparentemente possuía suas próprias residências e/ou outras propriedades. De outra forma, como poderiam eles ter cumprido o mandamento de prover para si mesmos e ainda deixar herança para suas famílias? O crente cauteloso dá de suas posses em primeiro lugar para Deus (veja Mateus 6:19, 33), depois para a família e para os outros crentes (1 Tm 5:8), e daí, tanto quanto possível, procura ajudar os pobres (Gl 2:10).