PROBLEMA: O ponto principal de Paulo em Gálatas pode ser resumido com suas palavras: “Se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará” (Gl 5:2). Contudo, Paulo admite ter feito com que Timóteo se circuncidasse “por causa dos judeus daqueles lugares” (At 16:3). Isso não foi uma contradição ao seu próprio ensino?

SOLUÇÃO: Mesmo que Paulo estivesse errado pelo que fez, isso não seria uma prova de que a Bíblia tenha errado em seu ensino, mas simplesmente de que Paulo errou. O apóstolo, como qualquer outro ser humano, era sujeito ao erro. Como a Bíblia é a Palavra de Deus, ela não pode errar em nada do que ensina. Além disso, a ação de Paulo, fazendo Timóteo circuncidar-se, não é necessariamente inconsistente com o que ele ensinou em Gálatas, já que os dois casos são diferentes. Paulo se opunha violentamente a quem quer que fizesse a circuncisão como necessária para a salvação. Mas ele não se opôs a ela como proveitosa para a evangelização. De fato, Paulo disse também: “Procedi, para com os judeus, como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da lei, embora não esteja eu debaixo da lei” (1 Co 9:20). Entretanto, quando os judaizantes insistiram que “se não vos circuncidardes segundo o costume de Moisés, não podeis ser salvos” (At 15:1), então Paulo tomou uma obstinada posição contrária à circuncisão.