PROBLEMA: Paulo parece dizer que Jesus “esvaziou-se a si mesmo” de sua divindade ou de sua condição de ser “igual a Deus” (vv. 6-7), tornando-se “reconhecido em figura humana” (v. 7). Jesus, porém, declarou ser Deus na terra (Jo 8:58; 20:28). Ora, como poderia Jesus ser Deus enquanto estava na terra, se ele deixou a sua deidade para tornar-se homem?

SOLUÇÃO: Jesus não deixou de ser Deus no tempo em que estava na terra. Mas, além de ser Deus, tornou-se também homem. A sua encarnação não foi a subtração da divindade, mas a adição da humanidade. Varias coisas nesse texto dão suporte a essa posição. Primeiro, o texto não diz que Cristo desistiu ou esvaziou-se de sua divindade, mas meramente de seus direitos como Deus, “assumindo a forma de servo” (v.7), de modo a ser um exemplo para nós (v. 5). Segundo, o texto declara que ele estava na “forma de Deus” (v.6), ou que “teve a mesma natureza de Deus” (v. 6, TLH). Assim como a expressão “forma de servo” (v. 7) refere-se a um servo por natureza, também a expressão “forma de Deus” (v. 6) refere-se a Deus por natureza. Terceiro, essa mesma passagem declara que todo joelho um dia confessará que Jesus é “Senhor”, uma citação de lsaías 45:23, que se refere a Yahveh, um nome de uso exclusivo de Deus.