perfeito

PROBLEMA: Nesse versículo, Paulo apela a todos que são “perfeitos” a agirem como ele, mas apenas três versículos antes ele declarou não ser ainda perfeito (v.12), mas que continuava esforçando-se no sentido de alcançar a perfeição. Em qual desses dois versículos devemos crer?

SOLUÇÃO: Essa é uma questão em que temos um bom exemplo de como uma mesma palavra pode ser empregada com sentidos diferentes. Isso não é algo incomum nas diversas línguas, como a palavra “meia”, em português, pode ilustrar: “Quando faltava meia hora para terminar o jogo, o meia-armador sofreu uma entrada tão forte, que sua meia se rasgou e, atordoado, desmaiou”. É óbvio que a mesma palavra “meia” nesse exemplo está sendo usada com três sentidos diferentes. Da mesma maneira, Paulo usa a palavra “perfeito” com sentidos diferentes. Alguns crentes são “perfeitos” no sentido de serem maduros ou completos. Mas nenhum crente, deste lado da morte, é perfeito no sentido de ter alcançado totalmente o alvo final. Isso somente será possível, como Paulo indica, na “ressurreição dentre os mortos” (Fp 3:11).