Por que esse registro da confissão de Pedro difere dos registros de Marcos e Lucas?

PROBLEMA: A confissão de Pedro sobre quem é Cristo, feita em Cesaréia de Filipe, apresenta-se diferentemente nos três evangelhos: Mateus: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” Marcos: “Tu és o Cristo” (8:29). Lucas: “És o Cristo de Deus”(9:20). Se a Bíblia é a inspirada Palavra de Deus, por que há três relatos diferentes sobre o que Pedro disse? O que ele realmente disse?

SOLUÇÃO: Há várias razões pelas quais diferem os registros sobre o que Pedro disse, nos Evangelhos. Em primeiro lugar, Pedro provavelmente falou em aramaico, ao passo que os Evangelhos foram escritos em grego. Portanto, algumas variações podem vir naturalmente como decorrência da tradução diferente de algumas palavras. Em segundo lugar, os escritores dos Evangelhos às vezes parafraseavam, dando a essência do que tinha sido dito, de forma semelhante à dos jornalistas da atualidade. Em terceiro lugar, o autor pode ter selecionado e abreviado o que foi dito para que isso se enquadrasse melhor no tema do seu livro ou na ênfase que procurava dar. O que é importante observar é que os autores dos Evangelhos nunca criaram essas coisas; antes, eles as relataram. Além disso, os seus relatos estavam de acordo com os procedimentos normais dos jornalistas daquela época (e ainda dos de hoje), e, quando há múltiplos relatórios, todos eles dão a essência do que foi dito. Por exemplo, todos os três fazem a referência de que Pedro confessou Jesus como sendo “o Cristo de Deus”. Às vezes, todos os relatos podem ser postos juntos como um todo, formando o que podem ter sido as palavras originais do relato de Pedro. É possível que Pedro tenha dito exatamente o que Mateus relatou, e é bem provável que os outros tenham relatado apenas as partes importantes daquela confissão de Pedro, como ilustrado a seguir: 

Mateus: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.”

Marcos: “Tu és o Cristo, [o Filho do Deus vivo].”

Lucas: “[Tu] és o Cristo, [o Filho] de [o] Deus [vivo].”