PROBLEMA: Salomão louvou as riquezas como sendo uma bênção de Deus, ao dizer: “Na casa do justo há grande tesouro” (Pv 15:6; c:. SI 112:3). Entretanto, Tiago advertiu os ricos, dizendo: “Atendei agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão” (Tg 5:1). Como ficamos?

SOLUÇÃO: Os textos que falam que Deus abençoa os justos com riquezas referem-se à promessa geral de Deus quanto a suprir as necessidades daqueles que vivem retamente. As exceções a isso confirmam a regra geral, não a diminuem. As passagens que nos advertem quanto à maldição da riqueza dirigem-se aos que idolatram as riquezas, amando-as e não a Deus (cf. também Lc 12:21). Esses dois tipos de textos são verdadeiros e complementares.