Imposição ou Proposição? 

Escolhi o caminho da fidelidade e decidi-me pelos teus juízos (Salmo 119.30). 

Imposição 

Nos últimos tempos presenciamos ataques de grupos terroristas em alguns países, o que, de certa forma, desde o onze de setembro de 2001, parece uma notícia um tanto corriqueira. Não quero, ao usar a expressão corriqueira, diminuir ou menosprezar esses acontecimentos tão chocantes onde vidas são ceifadas aos milhares. A pergunta é: terá isso fim? Em nossos tempos, temos visto pessoas morrerem em diversos lugares, vítimas dessas facções comprometidas com ideologias destruidoras. Todas estas ações são atribuídas a grupos que se fundamentam em pressupostos religiosos, políticos ou ambos, e, em todos eles os ataques são uma tentativa de impor seus ideais. O grande problema se fundamenta na palavra “imposição”. Entendo que a investida assassina tem como alvo, o forçar e o coagir pela força desmedida. 

O caráter de Deus 

Neste momento me vem à mente a bondade de Deus, uma das facetas de Seu caráter. Deus é bom, e por ser bom, não impõe, mas propõe. Tanto no Velho como no Novo Testamento, vemos essa premissa. Vejamos Deuteronômio 30.19: Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência. Alguém pode até contestar que, de certa forma, Deus impõe ao homem. Como Ele faria isso? Ao propor a bênção e em contrapartida, a maldição. Assim sendo, a pessoa, por causa dos efeitos da maldição, escolheria de forma forçada. Esse argumento não se sustenta, pois ainda que exista essa contestação na mente de alguns, ao homem lhe é facultado o direito de rejeitar, o que, de fato, muitos o fizeram e continuam fazendo. 

Um convite 

Desde o Éden, Deus busca o homem e lhe propõe a bênção. Depois da queda, o Senhor trabalhou nesse sentido com Caim demonstrando a responsabilidade e a liberdade do homem para seguir um ou outro caminho. Por todo o Velho testamento vemos essa proposição. No Novo Testamento, a proposta de Deus não alcança simplesmente o povo de Israel, mas todo homem. Podemos observar nas palavras de Jesus, não uma imposição, mas um convite irrecusável a todo aquele que leva o fardo pesado de uma vida que foi maculada pelo pecado. Esse convite está registrado em Mateus 11.28: Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Em outro texto do Novo Testamento o Senhor continua insistindo com o homem: …Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida (Apocalipse 22.17). 

Conclusão 

Meu propósito neste editorial não foi abordar os acontecimentos que nos abalam, mas demonstrar a bondade de Deus, a qual concedeu ao homem a liberdade de escolha. Quando Ele nos deu a bênção da opção, Ele nos dignificou como seres humanos, criados à Sua imagem e semelhança. Finalizo afirmando que a proposta do Pai continua em aberto e, talvez, deveria perguntar: Qual será a sua resposta? 

Em Cristo Jesus, a revelação de Deus, 

Pr. Natanael Gonçalves