Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome do teu santo Filho Jesus (Atos 4:29-30).

Todos aqueles que se identificam com Cristo, já decidiram servi-lo com inteireza de coração, sabendo, entretanto, que enfrentarão diferentes tipos de oposição. Isto é tão certo como o sol nasce pela manhã. O Novo Testamento afirma que todo aquele que quer servir fielmente ao Senhor, padecerá perseguição e enfrentará situações complicadas por causa do evangelho (2 Timóteo 3:12). O fato é que não pertencemos a este mundo e nem nos conformamos com os seus parâmetros. Tal como uma substância estranha em nossos corpos, o mundo busca expulsar todo aquele que não lhe pertence.

Não obstante, a questão chave para o cristão não é se ele vai sofrer, mas qual deve ser a sua atitude diante das dificuldades. Os apóstolos, no início da igreja, pregavam com palavras e atos que Jesus havia ressuscitado e que agora estava assentado à destra do Pai governando com autoridade.  Toda classe de sinais e prodígios acompanhavam aos que haviam crido, e seu número aumentava dia a dia. Para aqueles que haviam condenado Jesus à morte, esta situação se constituía numa séria ameaça e, portanto, prenderam os apóstolos. Ao soltá-los, os advertiram proibindo-lhes de pregarem em nome de Jesus. A reação deles nos deixa uma clara lição acerca do modo como devemos reagir em tempos de oposição. Na maioria das vezes, quando as pessoas estão em dificuldades, procuram a todo custo uma maneira de eliminar esses problemas. Todas as suas orações vão numa única direção: “Senhor, me livra desta situação ou tira esta dificuldade do meu caminho”.

Note que os apóstolos não oraram desta maneira, pois entendiam que a oposição fazia parte do pacote. Sendo assim, pediram a Deus que lhes desse fidelidade em meio à tormenta. Esse pedido demonstra que a preocupação deles era que, em meio à perseguição, não fossem infiéis a Cristo. Como eu e você, eles foram chamados para proclamar as boas novas do reino. A ameaça do Sinédrio poderia pôr em perigo essa missão e era isso que, verdadeiramente, os preocupava. Desejavam prosseguir em fidelidade à Cristo e à obra, mesmo quando as coisas estavam difíceis e complicadas.

Em meio à determinação de seguir em frente sem importar com as circunstâncias, pediram a Deus que lhes desse, não somente coragem, mas que confirmasse a obra de suas mãos por meio de sinais e prodígios. Isto foi do agrado de Deus, pois mal haviam terminado a súplica, tremeu o lugar onde estavam e todos foram cheios do Espírito. Receberam o que necessitavam e a obra seguiu avançando conforme a vontade de Deus.

Momento de Reflexão: Como você reage em tempos de dificuldades? O que revelam as suas atitudes? Revelam fidelidade a Deus?, ou a fragilidade da sua fé? Tome uma posição no dia que se chama hoje!

Em Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves