Renovação da mente 

E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12:2). 

Ação segue o pensamento 

Os pensamentos que ocupam a nossa mente podem afetar-nos de tal modo, até o ponto de produzirem verdadeiros danos a nós mesmos. E o pior; a maioria de nós passa por alto sem levar em conta essa realidade. As Escrituras, no entanto, nos advertem que a renovação da nossa mente é uma das chaves para termos uma vida transformada. Se aspiramos uma vida que nutre a cada dia mais a Palavra, devemos prestar muita atenção na ordem dada pelo Espírito Santo, por meio de Paulo, no texto de Romanos 12.2. Nossas ações não são espontâneas ainda que às vezes nos valemos de frases como: “fiz sem pensar no que estava fazendo”, para tentar explicar ou justificar certos acontecimentos. Na verdade, toda ação é fruto de um pensamento, mesmo quando não tomamos a consciência de que esse pensamento se havia formado em nós. 

O começo 

Jesus advertiu a respeito quando, no Sermão do Monte, mostrou que o juízo de Deus não virá apenas sobre nossas ações, mas antes, sobre os pensamentos que as geraram. Por esta razão o verdadeiro pecado do adultério começa com a pessoa que cobiçou a outra que não lhe pertence, no secreto da sua mente.  O pecado do assassinato começa quando nos pensamentos, qualificamos o outro de estúpido, idiota e outras coisas mais que vão crescendo na imaginação. Eventualmente, se esses pensamentos não são substituídos, eles irão gerar atos que expressam o que apropriamos em nossa mente por longo tempo. Uma ação pode ser abortada, mas antes que ela o seja, primeiro há que se descartar imediatamente o pensamento gerado. 

Sutilezas 

A frase: E não vos conformeis com este mundo, demonstra uma exortação e mandado para resistirmos o sistema mundano. A luta, entretanto, não se realiza com ações tão simples como aquelas de não fazer isto ou aquilo. Não, de forma alguma. O mundo planeja conformar-nos à cultura predominante destes tempos. Como ele faz isto? Se utilizando de uma infinidade de mensagens que nos bombardeiam o tempo todo, exigindo que nós, cristãos, respondamos positivamente a elas. Às vezes, essas mensagens são abertas e fáceis de se perceber, mas na maioria dos casos estão escondidas de forma sutil em coisas que julgamos inofensivas. 

Conclusão 

Por este motivo, o cristão tem a obrigação de trabalhar na renovação de sua mente. Esta renovação se alcança de duas maneiras: em primeiro lugar, devemos identificar os pensamentos que não são dignos do Senhor e levá-los cativos à obediência de Cristo (1 Coríntios 10:5). Isto significa rejeitá-los. Em segundo lugar, é preciso saber que a mente não trabalha vazia. O espaço deixado por esses pensamentos descartados, deve ser cheio com outros pensamentos se não quisermos reincidir no pensamento pecaminoso. Portanto, devemos ocupar a mente com a Verdade de Deus. Este processo é o que denominamos de “meditar” na Palavra. Devemos alimentar a mente com pensamentos que produzam uma transformação em nosso caráter. 

Para meditar: 

No demais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisto pensai (Filipenses 4:8). 

Naquele que nos chamou para vivermos na dimensão da Sua vontade, 

Pr. Natanael Gonçalves